Brasil terá sua enciclopédia da moda

Ficou pronto. Finalmente o livro sobre a trajetória da moda no Brasil que vem sendo anunciado há anos por Paulo Borges, organizador da São Paulo Fashion Week, está no prelo. Resultado de três anos de trabalho, a publicação promete ser a mais abrangente obra sobre o assunto já feita por aqui. "Será uma referência", acredita o idealizador do projeto.Para finalizar a edição, Paulo Borges passou os últimos três meses debruçado sobre os originais, finalizando textos, lendo, checando dados, conferindo imagens, em um esforço que exigiu a montagem de uma equipe adicional de apoio. "Está terminado. O volume 1 já está na gráfica, e o volume 2 na revisora". É isso mesmo: são dois tomos, 1.400 páginas, uma verdadeira enciclopédia chamada A Moda no Brasil (e não mais Backstage como previsto inicialmente).Mas o formato não segue o modelo de verbetes. São 30 capítulos, cada um dedicado a um assunto do mundinho fashion. A divisão não é por pessoas, nem por épocas. O relato da história da moda nacional elege temas e passeia pela moda praia, vai a Ipanema, desce a Rua Augusta, confere as medidas das modelos, revela imagens de moda, e se infiltra nos movimentos de moda, como o grupo mineiro, o grupo São Paulo, o Phytoervas Fashion.A trajetória começa com a primeira Fenit, idealizada por Caio de Alcântara Machado em 57 e que teve sua estréia em 58. "Apesar de minha história com a moda ter começado há 22 anos, o livro parte da Fenit, que é minha primeira lembrança de moda", diz Borges. O livro vai construindo a história em cima da experiência dele.Paulo assina os textos de abertura dos 30 capítulos, mas confessa que a narrativa do livro é impregnada de sua visão de produtor. "Sou um produtor, e o olhar não é o de um escritor, é a minha vivência na moda".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.