Brasil pra mim, pra mim Brasil!

'Fala muuuiiito!'

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2014 | 02h06

Rolou, enfim, o primeiro barraco

entre os participantes do programa Extraordinários, sucesso de público e crítica na atual temporada de mesas redondas na TV por assinatura:

parece que o jornalista e escritor

Xico Sá recusou convite da Globo

para comandar em dupla com o

historiador Eduardo 'Peninha' Bueno um quadro fixo do Fantástico após a Copa. "Deve ter lá suas razões!" -

ponderou o titã Paulo Miklos, o

mais sensato do programa

sensação do Sportv.

Vixe!

Heloísa Helena vai enfrentar

Fernando Collor na disputa pelo

Senado. Em Alagoas, isso é uma

espécie de Brasil x Argentina da

política. Dá nervoso só de pensar!

Ulalah

Os franceses vivem uma semana

memorável! Dormiram tarde na

segunda-feira comemorando a vitória sobre a Nigéria e acordaram na terça com a notícia da detenção do

ex-presidente Nicolas Sarkozy

em investigação por tráfico de

influência. Se vencerem hoje a

Alemanha no Rio pelas quartas

de final da Copa, vai ter carnaval

na Champs-Élysées.

Aí tem!

Alguém aí chegou a ver algum

índio brasileiro nos telões dos

estádios da Copa? A Fifa doou 2

mil ingressos para comunidades indígenas vinculadas à Funai e ao Comitê Intertribal.

Cruzem os dedos

A qualquer momento Mick

Jagger vai aparecer em dia de

jogo na tribuna de honra de uma das arenas da Copa.

Livremente inspirada no projeto de lei do Mário Prata que institui a execução de Aquarela do Brasil no lugar do Hino Nacional em partidas da seleção, a torcida bem que podia cantarolar o samba exaltação do Ary Barroso durante o jogo de hoje no Castelão: 'Ah, lalalalalalalalá, lalalalalalalalá, lalalalalalalalaaaaaá, Brasil pra mim, pra mim Brasil...' Ia ser lindo!

Ninguém precisaria decorar aquela coisa toda de "mulato inzoneiro", "morena sestrosa, "mãe preta no cerrado", "rei congo no congado", "merencória luz da lua", nada disso! A rigor, cá pra nós, Aguarela do Brasil nem devia ter letra, além da já supracitada 'Ah, lalalalalalalalá, lalalalalalalalá, lalalalalalalalaaaaaá, Brasil pra mim, pra mim Brasil...'

Em qualquer lugar do mundo, entende-se perfeitamente o que a gente quer dizer com isso, a música traduz a alegria de ser brasileiro com muito orgulho, com muito amor. E ninguém precisa chorar por causa disso, caramba!

Tudo o que sabemos sobre:
Tutty Vasques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.