Botero doa obras para museu em Bogotá

O pintor colombiano Fernando Botero inaugurou nessa quarta-feira em Bogotá um museu que reúne mais de 200 obras suas e dos principais artistas internacionais dos últimos 150 anos, e realizou assim seu sonho de que o país tenha um museu de categoria mundial. São obras que o pintor e escultor colecionou durante um quarto de século e que foram abertas à visitação pública na capital colombiana em uma casa que contém 208 obras no total, sendo que 123 são dele e 85, de artistas internacionais. Uma dezena de salas concedidas pela biblioteca Luis Angel Arango possui a coleção das figuras gordas do artista que nasceu em Medellín, em 1923 e começu a comprar quadros de grandes artistas "primeiro para decorar a casa e depois, para doá-las algum dia", disse ele. São pinturas e esculturas de Renoir, Degas, Monet, Pisarro, Matisse, Sisley, Braque, De Chirico, Max Ernst, Althus, Francis Bacon, Henry Moore, Picasso, Dalí, Miró e Marc Chagall, entre outros."É um pequeno museu à altura da Europa e da América no Norte e do porte dos que existem em São Paulo, Buenos Aires ou Caracas. É uma pequena ilha na América Latina", disse Botero, que elogiou os sistemas de proteção das peças e os cuidados com a umidade, iluminação e segurança do novo museu. "Me sinto emocionado pela oportunidade de fazer essa doação para o meu país. É infinito o prazer que sinto, porque agora, mais do que nunca são necessários gestos de amor pela Colômbia." A coleção é avaliada em US$ 160 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.