Borges é homenageado no 20° aniversário de sua morte

Faz 20 anos que Jorge Luis Borges faleceu em Genebra, longe de sua amada Buenos Aires, que por estes dias recorda o grande escritor e poeta argentino com mostras, homenagens e publicações. O escritor esteve no Brasil onde realizou conferências em 1999, acompanhado de María Kodama, como se vê na foto acima.Em palavras de seu biógrafo, Alejandro Vaccaro, Borges "era um ser literário" no qual conviveram o vanguardista e o clássico, o tradutor e o jornalista, o maestro da língua e o objeto de culto, o ensaísta irônico e o genial escritor de contos.Por essa multiplicidade de ângulos, a cidade que em 23 de agosto de 1899 viu nascer o autor de O Alephrealiza a partir de desta terça-feira diferentes atividades centradas em sua figura, desde exposições a passeios por zonas "borgeanas" de Buenos Aires.Genebra também programa homenagensO escritor também será homenageado em Genebra, onde morreu em 14 de junho de 1986 e está enterrado, enquanto que a Biblioteca Alexandrina do Egito fará uma série de conferências e uma mostra de sua obra.Apesar da devoção que sentia por sua cidade natal, que entre outras obras publicou a coletânea de poemas Fervor de Buenos Aires, Borges escolheu passar seus últimos dias na cidade suíça, onde viveu sua infância junto a sua família."Borges dizia que em Genebra havia passado uma época maravilhosa de sua vida. Se sentia cômodo porque sentia que não havia invasão em sua vida", recorda sua viúva, María Kodama, com quem o autor de Ficções se casou meses antes de morrer. "Em Buenos Aires teria sido um inferno", considera María afirmando que o escritor "adorava" a capital argentina.A um dia de completar o vigésimo aniversário de sua morte, o Centro Cultural Borges de Buenos Aires inaugura nesta terça-feira uma exposição de fotografia, textos, desenhos, poemas e cartas do autor.Além disso, o Ministério de Cultura portenho organizou para esta semana uma série de visitas guiadas feitas por especialistas aos lugares da cidade em que Borges viveu, trabalhou e passou momentos especiais de sua vida.Já a Fundação Jorge Luis Borges, presidida por María, realizará amanhã a jornada "Borges e os outros", em que se abordará a relação do escritor com a filosofia, o tango e a ciência.Reedição das obras completasA Legislatura de Buenos Aires fará uma sessão solene em homenagem ao autor de O Livro de Areia e a editora Emecé irá lançar uma reedição corrigida das obras completas de Borges.Prestes a completar 20 anos de seu falecimento, foram publicados na última semana diversos livros sobre o escritor, entre eles, Literatos y excéntricos. Los ancestros ingleses de Jorge Luis Borges, ainda sem tradução para o português, que permite conhecer uma espécie de mandato familiar que empurrou o argentino às letras."Há cometido o pior dos pecados que um homem pode cometer. Não foi feliz", diz um dos poemas de Borges, que por uma cegueira hereditária não foi capaz de ler e escrever durante mais de 30 dos 86 anos de sua vida.Sobre o vigésimo aniversário de morte do argentino, o escritor Guillermo Martínez reflete sobre "duas reações típicas, e somente em aparência opostas, que permitem dar a medida da grandeza de um autor depois de morto. A primeira é um intento de apropriar sua figura por correntes contraditórias entre si ou por correntes que o autor nunca em sua vida teria se inclinado. A segunda é o ataque obstinado, as sucessivos intenções de distorcer sua figura", explica.Algumas obras de Jorge Luis Borges - Fervor de Buenos Aires - Lua de Frente - O Aleph - Ficções - História Universal da Infâmia - O Informe de Brodie - O Livro de Areia - O Livro dos Seres Imaginários - História da Eternidade - Nova Antologia Pessoal - Prólogos - Discussão - Buda - Sete Noites - Os Conjurados - Um Ensaio Autobiográfico (com Norman Thomas di Giovanni) - Obras Completas (4 volumes) - Elogio da Sombra

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.