Reuters
Reuters

Bonequinha de Luxo: de garota de programa a queridinha de Lagerfeld, Zahia Dehar se afirma como estilista

'Barbie dos azuis' já foi pivô de escândalo na Europa

Flavia Guerra/ O Estado de S. Paulo,

14 de julho de 2012 | 17h59

"Com esta coleção de alta costura, espero provar que nada é impossível para aqueles que sonham. Vou levar você a um reino onde a mulher é rainha." Assim, a jovem estilista Zahia Dehar apresentava, em janeiro deste ano, no imponente Palais de Chaillot, em plena semana de Alta Costura de Paris, a primeira coleção de sua grife de lingeries de luxo.

 

Nada mal para uma garota de programa que nasceu na Argélia em 1992, migrou para a França aos 10 e, aos 18, já era pivô de um escândalo que sacudiu a Europa. Em julho de 2010, às vésperas da Copa do Mundo, Zaha ganhou fama mundial e o apelido de Barbie dos Azuis ao revelar ao que manteve relações com três craques da seleção francesa de futebol, Ribéry, Govou e Benzema, em 2009, quando ainda era menor de idade.

 

Só mesmo sonhando alto para imaginar que um ano e meio depois, aos 19 anos, ela iria do lixo ao luxo ao entrar para o seleto mundo da alta costura francesa. Ainda que a Chambre Syndicale não reconheça a grife de Zahia em seu line-up oficial, seu desfile de estreia foi um dos mais badalados da semana. Sem contar que ela foi praticamente apadrinhada por Karl Lagerfeld (o todo poderoso da Chanel), que clicou as fotos do catálogo. "Ela encarna a cortesã francesa, como Liane de Pougy e Belle Otéro", disse Lagerfeld, que, para registrar o romantismo das bailarinas de cabaré que inspiraram Zahia, foi buscar referências nos desenhos do ‘mestre das pinpups’ Alberto Vargas.

 

Há menos de duas semanas, na edição Outono -Inverno da mesma Semana de Paris, ela não só afirmava que sua grife parece ter mesmo chegado para ficar como roubava atenção por surgir com uma proposta mais ousada e autoral que a de seu debut.

 

Apesar de a cenografia (com direito a cupcakes gigantes) evidenciar forte inspiração nos desfiles-show da americana Vistoria’s Secret, as peças ínfimas que as tops de Zahia desfilavam faziam com que as fantasias das Angels parecessem 'do tempo da vovó'.

 

Com peças rebuscadas, cujo minimalismo reside de fato no tamanho e não nas plumas, tutus, paetês e brilhos, Zahia provou porque mesmo antes de se tornar estilista já havia caído nas graças da Vanity Fair e da V Magazine, que dedicaram capa e editorial para a moça. Sem contar que 'virou' quadro da badalada dupla Pierre & Gilles e ganhou ensaio em que vive uma apimentada Alice no País das Maravilhas de Nick&Chloé.

 

Na plateia do desfile, há menos de duas semanas, estavam nomes como Emmanuelle Béart e Béatrice Dalle, que observavam atentas uma coleção dividida em capítulos. No primeiro, Iced, uma modelo saiu de uma geladeira desfilando um fio dental e um tapa seios. Em seguida, surgiram tomaras-que-caia, transparências, camisolas, plumas e paetês. Em Cake, a segunda parte, modelos saíram de cupcakes, desfilando ora looks mais românticos ora ‘embrulhadas’ em looks papel de bala. Ao final, no estilo Like a Virgin, a própria Zahia surgiu vestida de noiva dentro de uma caixa de boneca gigante, provando que seu sonho não é muito diferente do sonhado pelas milhões de fãs da Barbie. Em seu site oficial, ela diz que estamos testemunhando a gênese de uma Maison de Couture. Aguardemos as cenas quentes dos próximos capítulos.

Tudo o que sabemos sobre:
Zahia Dehar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.