Bonassi mostra visão pessimista do Brasil em livro

Uma visão pessimista das cidades brasileiras marca a estréia do escritor paulista Fernando Bonassi no idioma espanhol no livro Subúrbios de São Paulo, apresentado hoje na Semana Negra da cidade espanhola de Gijón.Em seu primeiro romance escrito em espanhol, Bonassi - que é roteirista, dramaturgo, cineasta e escritor - abandona os ditadores e guerrilheiros para relatar a vida nos subúrbios, onde "os oprimidos achatam uns aos outros em vez de lutar contra os opressores".A história gira em torno da relação "implicitamente sexual" de um homem de 80 anos e uma menina de 7, usada pelo autor para "explicar a loucura deste personagem, e da sociedade na qual os pobres só têm a violência como forma de expressão".Para Bonassi, os relatos que enchem diariamente os jornais são a melhor fonte para escrever romances negros.O escritor participa do festival literário e cultural da Semana Negra que acontece em Gijón, com a presença de autores e representantes editoriais de todo os mundo.Bonassi foi co-roteirista de filmes como Os Matadores, de Beto Brant; Através da Janela, de Tata Amaral; Castelo Rá Tim Bum, de Cao Hamburguer; Estação Carandiru, de Héctor Babenco, e Aurélia Schwarzenega, de Carlos Reichenbach.Além disso, alguns de seus livros foram adaptados para o cinema.Antes da publicação de Subúrbios de São Paulo na Espanha, seus textos foram editados fora do Brasil em antologias na França, Estados Unidos e Alemanha. Desde 1997, Bonassi é colunista no jornal Folha de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.