Bom humor e pancadaria em Os Mercenários 2

Os músculos seguem rígidos e suspeitamente inchados. Cirurgias plásticas ergueram pálpebras e esconderam rugas com a mesma competência que limitaram expressões faciais a uma mesma cara de mau. Mas é bom lembrar desde já que quando machões sessentões como Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger se juntam a Bruce Willis, e o resto dessa turma conta ainda com Jason Statham (Carga Explosiva), Dolph Lundgren (o eterno Drago de Rocky), o prodígio das artes marciais Jet Li, Randy Couture (ex-campeão de UFC), o gigantesco Terry Crews, o intrépido Jean-Claude Van Damme e finalmente o lendário Chuck Norris, toda essa carga máxima de testosterona está a serviço tanto da ação quanto de uma grande comédia pastelão.

AE, Agência Estado

31 de agosto de 2012 | 11h05

Dessa vez, Stallone, criador da franquia Mercenários (o primeiro saiu em 2010), passou o bastão da direção a Simon West, produtor de Con Air e Lara Croft. No entanto, ele assina o roteiro dessa sequência, que tem como seu grande trunfo realizar o sonho de qualquer nostálgico fã dos blockbusters de aventura dos anos 1990: ver todos esses nomões, senão no auge de suas performances, dividindo a cena de forma impagável.

Em Os Mercenários 2, sequências memoráveis, de fazer urrar quem curtiu títulos como Exterminador do Futuro, Duro de Matar e Rambo, se repetem em cascata. Se qualquer expectativa quanto a um roteiro complexo ou mesmo plausível deve ser, para o bem do bom e puro entretenimento, é abandonada sem remorsos, há de se louvar a chance de ter Arnold Schwarzenegger, Willis e Stallone lado a lado, abrindo fogo contra centenas e - claro, como não? - vencendo a briga. Com direito a pausas para piadas e pérolas que remetam a seus trabalhos mais famosos. "Eu voltarei", grita Schwarzenegger, metralhadora em punho, para um divertido Bruce Willis, que retruca: "Você diz isso toda hora".

Na nova trama, o grupo de marombeiros liderado por Barney (a mais nova versão do eterno Rambo/Rocky de Stallone) tem uma missão aparentemente simples a cumprir, a mando de Church (Willis), mais a ver com alta tecnologia e exatidão de dados do que com combate. Entre os veteranos, há uma nova figura, Bill The Kid (Liam Hemsworth, mais conhecido por Jogos Vorazes e por namorar Miley Cyrus), um ex-soldado que está prestes a deixar o grupo e usar o dinheiro ganho no subemprego para matar de vez a saudade da namorada. A participação feminina, que no primeiro filme foi da brasileira Giselle Itié, agora é da chinesa desconhecida Nan Yu, que também entra no time.

É aí que a missão aparentemente simples fica complicada, tensa e é frustrada por um vilão tão cruel que se chama "Villain", vilão em inglês, mas com sotaque belga que é peculiar de Jean-Claude Van Damme. E como nada tira mais um machão do sério do que ser desafiado - ainda mais por um baixinho invocado -, os mercenários, agora sim, têm diversão de sobra à vista.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaOs Mercenários 2

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.