Bolsa de Arte do Rio desmarca leilão

Pela primeira vez em sua história, a Bolsa de Arte do Rio de Janeiro desmarcou um leilão da casa. O evento, que estava previsto para acontecer na terça-feira no hotel Copacabana Palace, Copacabana, zona sul, foi transferido para a próxima segunda-feira, dia 17, às 21h. ?Nãohavia clima, era um momento de consternação?, comentou o diretor da Bolsa de Arte, Jones Bergamin. A exposição dos objetos serão vendidoscontinuará aberta na Rua Prudente de Morais , 326, em Ipanema, zona sul, até o domingo, dia 16.Esse é o principal leilão da Bolsa de Arte a ser realizado no ano. O último da temporada está previsto para novembro. O carro-chefe doevento que acontecerá na segunda-feira é um conjunto de obras de pintura moderna brasileira. São cerca de 170 trabalhos que inclui óleosde Di Cavalcanti, Guignard, Djanira, Cícero Dias, Milton Dacosta, Portinari, entre outros.Mais de dez quadros da coleção da socialite Beki Klabin, modernos e abstratos, fazem parte da lista de obras que serão vendidas. O Leilão da Bolsa de Arte está dividido em quatro segmentos: ?Século XIX e início do século XX?, ?Pintura Moderna?, ?Abstratos e Geométricos? e ?Desenhos, gravuras e esculturas?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.