''Bob esponja é um adulto-criança''

Quem é ''o pai'' do esdrúxulo personagem da animação?

Entrevista com

Flavia Guerra, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2010 | 00h00

Uma esponja do mar (na verdade, uma esponja de louças) que vive na Fenda do Biquíni, mora em um abacaxi e trabalha na lanchonete Siri Cascudo. E, claro, usa uma calça quadrada.

De tão esdrúxula, a premissa do personagem criado pelo norte-americano Stephen Hillenburg há 11 anos parecia fadada à gaveta. Ex-professor de biologia marinha para crianças, ele era um dos animadores de A Vida Moderna de Rocko, no canal Nickelodeon, quando decidiu unir o útil ao agradável e criar um dos personagens mais famosos, queridos e, claro, esquisitos do reino da animação. Para quem achava que este novo desenho animado não duraria mais que uma temporada, o importante era mesmo fazer o que gostava.

Provando que no mundo da animação a lógica nem sempre vence, Bob Esponja Calça Quadrada não só ganhou outras tantas temporadas como se tornou fenômeno mundial da animação. Exibido em dezenas de países de todo o mundo, hoje é uma das maiores estrelas do canal Nickelodeon e já ganhou até um longa-metragem. Sem contar o número infinito de produtos licenciados (e pirateados) e de ser reconhecido por mais de 90% das crianças (grandes e pequenas) do mundo.

Esta maré de boa sorte trouxe "o pai do Bob Esponja" ao Brasil neste mês, mais especificamente às praias do Rio, onde ele conversou com o público do 18.º Anima Mundi e contou como nasceu Bob, além de mostrar raros trabalhos de início de carreira.

Em conversa com o Estado, ele contou como, aos 48 anos, ainda mantém o espírito de criança, não se deslumbra com o sucesso de seu personagem, não deixa de surfar e mergulhar (suas grandes paixões) e, claro, nem de viajar.

Além do Rio, você passou por Salvador e Brasília. O que o motivou a conhecer as duas cidades?

Sempre tive interesse na música baiana e queria conhecer. Foi uma pena que choveu o tempo todo. Meu filho queria ter ido à praia mais vezes. Já Brasília tem arquitetura especial. É uma utopia estranha, mas muito interessante. Daria um bom cenário de animação. Já o Rio é fantástico. Alguém definitivamente desenhou esta cidade.

Você já deu aula de biologia marinha para crianças, sempre leva seu filho nas viagens e criou um personagem que é uma "criança grande". Diria que leva jeito com crianças, não?

É verdade. Eu me dou muito bem com elas. Crianças têm um senso de humor muito especial. As da idade do meu filho, com 10...11 anos, são tão espertas. E o humor infantil me inspirou quando criei Bob Esponja. Ele é um adulto, trabalha, mora sozinho, mas, assim como Jerry Lewis e O Gordo e o Magro, é um adulto ingênuo, que se comporta muitas vezes como garoto. Por isso que tanto adultos quanto crianças gostam dele.

Você imaginou que Bob Esponja seria este fenômeno?

Nunca. Tudo que queria era criar algo que tivesse a ver comigo. A gente só pode criar algo com verdade se falar das nossas próprias experiências. Sempre fui apaixonado pela vida marinha. Só fui estudar Ciências Naturais porque aprendi a adorar o mar quando ainda era muito jovem e aprendi a surfar. Como professor de biologia marinha que me tornei, tomei contato com as crianças e me apaixonei por elas. Nada mais natural que, à minha paixão pela animação, eu unisse as outras duas paixões. Por isso que dá certo. Porque há humor e verdade nas absurdas histórias do Bob.

Você está trabalhando em um novo desenho ou personagem?

Estou investindo mais em projetos experimentais agora. Continuo supervisionando Bob Esponja, mas quero poder fazer outras coisas. É na experimentação que se pode fazer o que mais gosto: criar. Foi por isso que decidi tardiamente, aos 30 anos, tornar-me animador. E é por isso que quero continuar.

Alguma outra cidade brasileira nos seus planos?

Queria conhecer mais a fauna marinha, mas tenho compromissos nesta semana nos EUA. No futuro próximo, quero viajar mais pelo Brasil.

Que tal se inspirar na fauna marinha local para criar um novo personagem?

Seria ótimo. O Brasil tem uma natureza incrível e com certeza vou encontrar algo inspirador.

QUEM É

BOB ESPONJA

COZINHEIRO DO SIRI CASCUDO

Bob Esponja vive na fenda do Biquíni, no Oceano Pacífico. Trabalha no restaurante Siri Cascudo e tem Patrick, uma estrela-do-mar exótica, como seu melhor amigo. Suas aventuras vão ao ar na Nickelodeon e na TV Globo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.