Bob Dylan, candidato polêmico ao Nobel

Um dia antes do anúncio do Prêmio Nobel deliteratura, a reiteração da candidatura de Bob Dylan levantou o debate sobre o fato de um compositor, por excepcional que seja,Tenha o direito de ser comparado a gigantes das letras como Samuel Beckett, Pablo Neruda, Albert Camus, Eugène O´Neill, Octavio Paz, George Bernard Shaw ou Gabriel García Márquez.Apesar de muitos críticos de música considerarem que Dylan, ou Robert Zimmmerman, seu nombre verdadeiro, o letrista de maior profundidade da história da música moderna, discute-se se esta atividade merece o prêmio de maior pretígio da literatura no mundo. Christopher Ricks, co-diretor do Instituto Editorial na Universidade de Boston e admirador fervoroso de Dylan, autor de ensaios acadêmicos sobre a obra do compositor, diz que a questão é polêmica."Não creio que ninguém use as palavras melhor do que ele", disse Ricks, autor de respeitadas obras de crítica literária como A Força da Poesia e Alusão aos Poetas, além de livros sobre a obra de T.S. Eliot, Lord Alfred Tennyson e John Keats. "Creio que a questão não é se sua obra merece um Nobel, mas se sua arte pode ser considerada literatura"."Sem dúvida, pode", afirma Gordon Ball, autor e professor de literatura no Instituto Militar de Virginia en Lexington, Virginia, que indica Dylan ao prêmio desde 1996. "A poesia e a música estão vinculadas", disse. "E Dylan contribuiu para fortalecer esta relação, como os trovadores de antigamente".O Nobel de literatura é concedido anualmente por 18 membros vitalícios da Academia Sueca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.