Bloomsday celebra obra de James Joyce em São Paulo

Evento homenageia 'Ulisses', obra-prima do escritor irlandês; Finnegan´s Pub tem programação especial hoje

Da Redação,

16 de junho de 2008 | 16h56

No mundo da literatura, o dia 16 de junho é internacionalmente conhecido. É nesta data que se celebra o Bloomsday, evento tradicional que homenageia Ulisses, obra-prima do escritor irlandês James Joyce. Este é o dia, no ano de 1904, que marca a caminhada do protagonista, Leopold Bloom, por Dublin. Comemorado em diversas cidades do mundo, o evento foi criado em São Paulo, em 1988, pelo poeta Haroldo de Campos, juntamente com a professora Munira Mutran, da USP.   Nesta segunda-feira, 16, o Finnegan´s Pub abre suas portas para encerrar as atividades da data. A partir das 19h30, o local recebe bandas e tem sua tradicional comemoração literário-musical do Bloomsday paulistano.   A festa contará com a audição do episódio Éolo do romance Ulisses, de Joyce, com leitura do fragmento no original, ou seja, gravada pelo próprio autor, em português e também em outras línguas. Ainda serão lidas partes de obras de outros escritores que sofreram influência das obras de Joyce, como Haroldo de Campos, João Guimarães Rosa, Oswald de Andrade, Mário de Andrade, João Ubaldo Ribeiro, Paulo Leminski e Clarice Lispector.   Ao final do evento, será entregue o Prêmio Jameson Irish Whiskey a três pessoas por ajudarem na difusão da cultura irlandesa no País.   Programação no Finnegan´s Pub Endereço: Rua Cristiano Viana, 358. Tel. 3062-3232. Das 19h30 às 22h: Celebração do 21.º Bloomsday em São Paulo Apresentação: Marcelo Tápia.   Abertura: - Música irlandesa tradicional, pelo grupo Irish Dreams (Cíntia Scola, Daniel Tápia, Marcelo Tápia e Silvia Zambon). - Leitura do poema The Holy Office (O Santo Ofício), de Joyce, em tradução de Alípio Correia Franca Neto, em inglês (por John Milton) e em português (pelo tradutor).   1ª parte: Ulisses Tema: episódio Éolo. Breve comentário sobre o episódio, por Marcelo Tápia. Comentário sobre o fragmento a ser lido, por Maria Tereza Quirino. Audição de fragmento do romance Ulysses, de Joyce, em gravação do próprio autor. Leitura em inglês (por John Milton) e em tradução para o hebraico (por Pérola Wajnsztejn) e para o português (traduções de Antonio Houaiss, de Bernardina Pinheiro e de Caetano Galindo), por Yun Jung Im, Cecília Furquim Marinho e Maria Tereza Quirino.   Apresentação musical: Bruno Maia e banda.   2ª parte: "Ressonâncias da obra de James Joyce na literatura brasileira". Comentário introdutório: Aurora Bernardini. Leitura de fragmentos de: Galáxias, de Haroldo de Campos - por Ivan de Campos. Antologia, de Oswald de Andrade - por Lucia Santaella. Macunaíma, de Mário de Andrade - por Frederico Barbosa. Meu Tio o Iauaretê, de João Guimarães Rosa - por Lucio Agra. Frasca, de Décio Pignatari - por Claudio Daniel. Catatau, de Paulo Leminski - por Ivan de Campos. Viva o povo Brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro - por Marcelo Tápia. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres, de Clarice Lispector - por Alice Ruiz.   Entrega do Prêmio Jameson Irish Whiskey a divulgadores da cultura irlandesa no Brasil.   3ª parte: Apresentações lítero-musicais - Lucila Tragtenberg: fragmentos de Qohélet (em tradução de Haroldo de Campos; acompanhamento instrumental de Livio Tragtenberg). - Cid Campos: fragmento inicial de Finnegans wake (em tradução de Augusto de Campos), com acompanhamento de viola. - Edvaldo Santana: canções.   Encerramento: Apresentação do grupo Marsicano Sitar Experience - com Alberto Marsicano (cítara), Fernando Del Vecchio (baixo acústico) e Lucio Agra (bateria) - acompanhado de leitura de fragmentos de Ulysses, por John Milton.

Tudo o que sabemos sobre:
BloomsdayJames Joyce

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.