Blitz, rapper de Gana na Terra do Tio Sam

O Estado de S.Paulo

19 Julho 2012 | 03h09

Guitarras distorcidas, metais, a poesia politizada de um Chuck D, o domínio do ritmo de Fela Kuti. Na música do rapper ganês-americano Blitz the Ambassador, outra atração da Mostra Sesc, cabe de tudo, mas não diluição. Samuel Bazawule, de 30 anos, é o homem que se abriga sob a metralhadora de rimas de Blitz the Ambassador. Sua conversão ao hip-hop começou ao ouvir um disco do irmão mais velho, It Takes a Nation of Millions to Hold Us Back, do Public Enemy. Como Gil, é formado em Business Administration pela Kent State University de Ohio, mas a música o salvou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.