Bispo se desculpa por criticar casamento do príncipe William

LONDRES (Reuters Life!) - Um bispo da Igreja Anglicana pediu desculpas nesta segunda-feira por sugerir que o casamento do príncipe William e sua noiva, Kate Middleton, vá durar apenas sete anos e que os dois são "celebridades superficiais".

REUTERS

22 de novembro de 2010 | 14h14

Pete Broadbent, bispo de Willesden, no noroeste de Londres, disse que se arrependeu dos comentários que fez online sobre o casal, que anunciou seu noivado na semana passada. Os comentários foram reproduzidos e criticados pela imprensa britânica no fim de semana.

"Não ligo para a família real", escreveu o bispo no site de relacionamento social Facebook, dizendo que é republicano e que "há mais casamentos rompidos e infidelidade conjugal entre essa gente que entre as outras pessoas".

"Essas pessoas nos custam caro. Como é o caso da maioria das celebridades superficiais, a imprensa marrom as levará ao fracasso. Acho que o casamento não durará mais que sete anos", disse ele.

Os comentários do bispo foram reproduzidos na primeira página de um jornal no sábado, e Broadbent admitiu que foi insensato escrevê-los em um fórum na Internet.

"Transmiti ao príncipe Charles, ao príncipe William e a Kate Middleton meu arrependimento sincero pelo mal-estar causado por minhas declarações e a atenção da mídia ao próximo casamento real", disse ele em comunicado à imprensa.

"Reconheço que o tom e o conteúdo de minhas palavras foram profundamente ofensivos. Peço desculpas sinceramente pelo mal-estar provocado."

"Desejo ao príncipe William e Kate Middleton um casamento feliz e vitalício e lembrarei deles em minhas orações."

William e Kate Middleton, ambos com 28 anos, vão se casar na primavera ou no verão de 2011, e a notícia do casamento parece ter sido bem recebida pela maioria dos britânicos, embora alguns questionem o custo do casamento no momento em que o país se recupera de uma recessão profunda.

Mais de um quarto dos entrevistados em uma pesquisa de opinião acha que o casamento será bom para a monarquia, e outra pesquisa sugeriu que a maioria dos britânicos quer que William seja o próximo rei, em lugar de seu pai, príncipe Charles.

(Reportagem de Michael Holden)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEBISPOPRINCIPEWILLIAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.