Biquíni fio dental gera polêmica na França

Em 1946, Louis Reard lançou em Paris o maiô de duas peças e o biquíni rapidamente se tornou uma moda universal. Quase 60 anos depois, as praias francesas foram invadidas pela moda brasileira do biquíni fio dental, conhecido como string. O modelo também fez sucesso como roupa íntima, mas está provocando escândalo, pela forma como as jovens francesas o usam. Elas vestem calças jeans abaixo da cintura e camisetas curtas, deixando à mostra o umbigo e a parte superior do string. Não apenas setores conservadores têm reagido à nova moda, como também entidades feministas, convencidas de que ela degrada a imagem da mulher. Cartas enviadas ao Ministério da Educação exigem medidas para impedir a ?exibição?. ?Depois ainda tem gente que se surpreende que as adolescentes possam ser molestadas?, disse Segolene Royal, ex-ministra socialista do Ensino Secundário. O ministério, por enquanto, tem encarregado os diretores de escola de decidirem sobre a proibição ou não do string e do umbigo à mostra. Alguns educadores aproveitaram a ocasião para reivindicar a volta do uniforme escolar, abolido nas escolas públicas francesas. Em muitos liceus da região da Alsácia, o problema tem sido discutido nas reuniões dos conselhos de escola. Em diversos casos, as alunas têm sido enviadas para casa para trocar de roupa. A polêmica está longe de afetar as vendas, que dobraram este ano, segundo a indústria de lingerie DIM. Só uma cadeia de supermercados vendeu 1,3 milhão de unidades em 12 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.