Biografias de Tom Jobim e Nara Leão são relançadas

Jornalista Sérgio Cabral, pai do governador do Rio, narra situações pouco conhecidas com texto saboroso

Agência Estado,

29 de dezembro de 2008 | 12h04

Quase no último suspiro do ano em que a Bossa Nova completou suas cinco décadas, são relançadas duas relevantes biografias escritas pelo jornalista, escritor e compositor (agora também pai do governador do Rio de Janeiro) Sérgio Cabral sobre a vida de Tom Jobim e Nara Leão. A importância histórica dos dois personagens em questão já justificaria essas reedições, mas as biografias, singelamente batizadas de Antônio Carlos Jobim - Uma biografia e Nara Leão - Uma biografia, se destacam pelo texto saboroso de Cabral. Só mesmo alguém que já dividiu um chopinho com Tom e Nara poderia ter escrito algo assim. Em Antônio Carlos Jobim - Uma Biografia (lançada originalmente em 1997), Cabral narra episódios pouco conhecidos da parceria entre Tom e Frank Sinatra e os bastidores da emblemática apresentação no Carnegie Hall. Além disso, revela que entre o maestro e Elis Regina não existia muita química - e que as gravações de Tom & Elis foram tensas.Já na nova versão de Nara Leão - Uma Biografia (originalmente lançada em 2001), Cabral adicionou novas fotos e a discografia completa da cantora. Aqui, chama atenção o enfoque de Sérgio Cabral. Para ele, Nara foi a inventora da MPB. Cabral argumenta que Nara Leão foi a primeira a misturar elementos da Bossa Nova, do samba e dos ritmos nordestinos - isso sem ficar presa nos formalismos musicais. O mix, promovido por Nara, rende frutos até hoje influenciando gerações e gerações de cantoras de MPB.

Tudo o que sabemos sobre:
livroBossa NovaNara LeãoTom Jobim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.