Biografia refaz a trajetória erótica de Madonna

As melhores histórias de Madonna - Uma Biografia Íntima, de J. Randy Taraborrelli, são de natureza sexual. O mundo é dos barraqueiros, e Madonna conquistou seu espaço com méritos. Quer exemplos? Bom, Madonna namorou Prince, nos idos de 1985. Sua primeira noite juntos veio depois de muita "esfregação, com os ombros subindo e descendo e o corpo ondulando", segundo narra Taraborrelli (jornalista que escreveu também biografias de outros pop stars, como Michael Jackson, Diana Ross e Frank Sinatra). Depois de uma espécie de "dança do acasalamento", Madonna e Prince foram para a suíte dele no Hotel Marquis, em Westwood. Ela dizia que o que a deixava excitada em Prince era seu forte cheiro de lavanda. Mas Prince não agüentou o tranco e, depois de alguns meses, deu um pé na delicada da cantora. Madonna, segundo confidenciou a amigos, era insaciável. "Enquanto Prince queria saborear cada momento do ato, ela sentia orgasmos múltiplos", disse T.L. Ross, um amigo antigo do cantor de Minneapolis. O ator Sean Penn, com quem ela se casaria, teve um chilique quando soube que ela tinha andado com Prince. E pediu teste de HIV. "E seu eu for positiva? E então? Estou morta, certo?", retrucou Madonna. "Bem, se você for positiva, então pelo menos eu vou saber, não é?", disse Sean. John-John Kennedy, um namorado posterior (o herdeiro dos Kennedy que morreu num acidente aéreo), recusou-se a ter um filho com ela. Mas a defendeu perante a mãe, Jackie Onassis. Jackeline foi aconselhá-lo a não ter um romance com alguém que era conhecida como Material Girl. "Quem no mundo tem sido mais materialista do que você?", devolveu o filho à mãe. Outro namorado, o ator Warren Beatty, ela chamava de "Pussy Man" (algo como "bichinha", em inglês). O autor, Taraborrelli, diz que Madonna usava Beatty "como um distintivo de honra". Mas a história degringolou quando Beatty ofereceu a ela um anel de safira de US$ 30 mil e a pediu em casamento. Dali em diante, a coisa começou a ruir, até que ele escondeu detrás do sofá uma pintura a óleo que ela tinha lhe dado de presente. O rapper Vanilla Ice, que veio a seguir, rompeu com ela depois de ter feito fotos para o livro Sex, alegando ter ficado chocado com o resultado. "Eu não sou pervertido", disse Vanilla. Apesar da vida atribulada, uma obsessão dela sempre foi ser mãe. Taraborrelli conta que ela ficou 21 horas tentando convencer Sean Pean, que se negou. Depois, agarrou o personal trainer Carlos Leon, que trabalhava no Central Park, e o convenceu com outros argumentos. O que isso tudo mostra? Que Madonna não é uma santa? Que há algo sobre ela que não sabíamos? Nada. Prova apenas que o mundo dos gossips é eterno. Daqui a pouco também saberemos a verdade sobre Britney Spears.Madonna - Uma Biografia Íntima - Editora Globo, 493 páginas, R$ 45

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.