Biografia indiscreta de Madonna chega ao Brasil

Ela foi líder de torcida na adolescência, encarnou a "material girl", quis assegurar seus seios em US$ 6 milhões, deu um longo beijo na boca da atriz Gwyneth Paltrow em um bar lotado em Nova York, resolveu ter filhos e hoje não permite que eles assistam à televisão ou ouçam música pop. Ela é Madonna, uma das personalidades mais polêmicas e influentes do mundo pop.Em junho, o leitor brasileiro poderá conhecê-la profundamente graças à publicação de Madonna - An Intimate Biography ("Madonna, uma Biografia Íntima"), que chega às livrarias pela Globo e ainda está sem título em português.O jornalista J. Randy Taraborrelli passou mais de 10 anos pesquisando para escrever as mais de 400 páginas da biografia, que saiu há dois anos nos Estados Unidos e Inglaterra e se transformou em um best seller. Para quem gosta de fofocas o livro é um prato cheio, mas Taraborrelli aprofunda cada polêmica protagonizada pela estrela.O livro também é rico em depoimentos: o autor ouviu até o rapaz que tirou a virgindade da cantora. Todos os álbuns e os videoclipes mais famosos são comentados pelo escritor. A biografia foi escrita em ordem cronológica, com exceção do primeiro capítulo, que relata o encontro de Madonna com o presidente argentino na época em que ela fez Evita no cinema.Hollywood - Taraborrelli conta que Madonna começou na gravadora Sire Records, em um contrato de US$ 5 mil. Nesse tempo ela completava o orçamento como backing vocal em alguns discos, incluindo um do roqueiro Ozzy Osbourne. O biógrafo sustenta que o grande sonho de Madonna não era ser cantora, mas sim uma grande estrela de Hollywood.Os vários relacionamentos dela são detalhados no livro. O mais picante deles é com o ator Warren Beatty. O biógrafo também conta episódios difíceis da estrela como o alcoolismo do ator e marido Sean Penn, seu aborto e o pedido dele de voltar depois que se divorciaram.Na parte diversão, há casos hilários e bizarros como o affair entre Madonna e Prince. Segundo ela, o cantor cheirava tão forte a lavanda que a lembrava de Elizabeth Taylor. Um dos pontos altos da biografia é o episódio em que Madonna convida Michael Jackson para acompanhá-la na entrega do Oscar de 1992, onde ela cantou a música tema de Dick Tracy. A cantora se atrasou para pegar Michael e o mandou tirar os óculos escuros. O cantor teria dito ao autor que nunca "ninguém tinha me tratado assim antes". Depois da cerimônia do Oscar, Madonna deixou Michael plantado em um salão lotado de celebridades para flertar com Warren Beatty.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.