Biografia de ACM vai para a geladeira

A biografia de Antônio Carlos Magalhães passa por um período de estagnação. É que o autor Fernando Morais, responsável pela obra, está aguardando o rumo político a ser tomado pelo ex-presidente do Senado. "Não sei se ele vai se candidatar no futuro, nem para quê. Também não sei se ele vai ganhar a eleição a que concorrer. Só depois disso resolvido é que poderei continuar a biografia", afirma o escritor e jornalista. Em recente entrevista à jornalista Marília Gabriela, no programa Gabi, da Rede TV!, ACM reclamou que o andamento do livro estava em ritmo lento. "Acho que Fernando está esperando eu morrer para vender mais exemplares", alfinetou. Hoje pela manhã, ao anunciar que fará também a "biografia" da agência de publicidade W/Brasil, Morais deu a resposta. "Liguei para ACM no dia seguinte à exibição da entrevista e disse que ele estava equivocado. Quero mais é escrever logo para que ele possa me processar. Assim, com a repercussão na mídia, venderei milhões de exemplares. Depois ele pode morrer", brincou o escritor. Segundo ele, o material ainda não tem data para ser publicado. O livro sobre a vida de ACM vem sendo preparado há seis anos. "Tenho mais de 100 horas gravadas com ele. Vou aproveitar o período de seu afastamento da política para gravar depoimentos de adversários políticos, parentes e inimigos", afirmou Morais. O escritor vem acompanhando passo a passo a carreira do político para poder escrever a obra com o maior número de detalhes possível. "Acompanhei todo o tumulto pelo qual passou ACM na política. Quando ele renunciou ao mandato de senador eu estava lá. Vi que o momento era muito importante para ele. Peguei um avião e fui direto para Brasília para poder acompanhar tudo de perto", conta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.