Big boi, o mentor de Monáe

Nas capas de discos do Outkast, Big Boi é o encarregado de garantir o selo de qualidade gangsta. De rosto cerrado, braços cruzados e óculos escuros, o rapper faz o papel de artista do gueto em contraponto ao excêntrico e bem-vestido André 3000.

Roberto Nascimento, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 00h00

O duo, apelidado de Lennon e McCartney do hip-hop, é responsável por alguns dos grandes discos do gênero nos últimas décadas, entre eles, Southernplayalisticadillacmuzik e Stankonia, trabalhos audaciosos e experimentais, que redefiniram as fronteiras do rap ao mesmo tempo em que caíram na graça do público maior. É o equivalente à mistura dos visuais das capas: hip-hop de vanguarda com credenciais do submundo.

Mas nos últimos anos, Big Boi tem se afastado de André 3000. Faz shows com as músicas do Outkast sem seu parceiro e lançará seu primeiro disco solo, Sir Lucious Left Foot: The Son of Chico Dusty, cujo single Shutterbug já é sucesso de crítica, em julho. A julgar pela qualidade de The Archandroid, que tem uma nítida veia "outkastiana", Big Boi estará em sua melhor forma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.