Bienal fecha com público de 560 mil

Nem a decisão do Campeonato Estadual de Futebol esvaziou o último dia da 10.ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Hoje, cerca 75 mil pessoas foram ao RioCentro, em Jacarepaguá, zona oeste. O Sindicato Nacional de Editores de livros (Snel) e a Faga comemoravam o sucesso do evento que teve público de 560 mil pessoas em 11 dias. "Não foram fechados muitos negócios entre editores, e nem era esse o nosso objetivo", disse o diretor de Comunicação do sindicato, Roberto Feith, que é proprietário da editora Objetiva. "Estamos radicalizando como uma feira de público e não de negócios".Para a próxima Bienal, que deve acontecer em 2003, os promotores do evento estão mais preocupados em resolver a questão de espaço e conforto para o público, sempre crescente, do que mudar a sua filosofia. "Essas questões que estamos resolvendo nos deixam muito felizes e já estamos começando a pensar na próxima Bienal. Já reservamos todo o Riocentro e certamente vamos crescer com melhores condições para o público", concluiu. "Este evento não tem a finalidade de só vender livros, apesar de 70% dos visitantes terem feito alguma compra. O principal é que a nossa finalidade, o de estimular o hábito de leitura e fazer as pessoas falarem de livros, foi atingida", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.