Bienal do Livro dá a largada e espera 700 mil visitantes

21.ª edição tem números gigantes e uma programação cultural para conquistar leitores

Teresa Ribeiro, do estadão.com.br,

12 de agosto de 2010 | 21h24

Artistas fazem performance na abertura oficial para convidados. Foto: Sebastião Moreira/EFE

 

SÃO PAULO - Começa nesta sexta, 13, a 21.ª Bienal Internacional do Livro para o público em geral. Quinta, foi o dia dos convidados. 700 mil pessoas são esperadas em 11 dias de evento no Parque do Anhembi, numa área de 60 mil metros quadrados, equivalentes a dez campos de futebol. Lá estarão 350 expositores e 2,2 milhões de exemplares. Estão programados 4,2 mil lançamentos e 1,1 mil horas de atividades culturais. Tudo isso a um custo de R$ 30 milhões. Cansou?

 

Ao lado desse gigantismo numérico esta edição vem com o objetivo de mudar o perfil do evento, despertar a paixão pela leitura, ultrapassar as fronteiras do Anhembi e deixar a literatura dominar a cidade. Para isso, a Câmara Brasileira do Livro reuniu curadores de talento mais do que reconhecido, o diretor do Sesc em SP Danilo Santos de Miranda, o editor e professor de literatura da USP Augusto Massi e o sociólogo e diretor da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo Hubert Alquéres. Estes, por sua vez, convidaram outros curadores para cuidar da programação cultural e educacional, dirigida a professores e estudantes.

 

linkNão se faz bienal sem a garotada

linkDentes afiados na sexta 13: é o dia de festejar Drácula

linkLivro digital ao alcance de todos

linkRestaurantes têm cardápio dedicado a autores da Bienal

linkNovos curadores ocupam o Anhembi

linkLusofonia inflama a discussão

linkEm ação, os autores brasileiros

 

Nesta sexta-feira, 13, o tema será o do momento literário juvenil: vampiros. Um dos destaques da programação é a palestra/debate com o ícone nacional José Mojica Marins, o Zé do Caixão. A Bienal havia anunciado a vinda de Dacre Stoker, o sobrinho-bisneto do autor do clássico "Drácula", o irlandês Bram Stoker (1847-1912), mas sua participação foi cancelada. Ele escreveu com Ian Holt uma sequência do livro, "Drácula, o Morto-Vivo", lançado aqui pela Ediouro. Quem for fantasiado de vampiro à Bienal nesta sexta vai entrar de graça. O ingresso, aliás, custa R$ 10 e R$ 5 a meia entrada.

 

Este é apenas o programa de estreia do Salão de Ideias, que tem curadoria dos jornalistas Manuel da Costa Pinto e Alexandre Agabiti Fernandez, e traz escritores como Lygia Fagundes Telles, Milton Hatoum, Ziraldo, e muitos outros. Confira a programação.

 

Haverá ainda o Palco Literário, com curadoria do escritor e novelista Walcyr Carrasco, onde atores vão ler trechos de obras literárias, entre eles Regina Duarte, Carmo Della Vecchia, Zeca Camargo. Veja mais.

 

A gastronomia vai ter espaço privilegiado no Pavilhão de Exposições do Anhembi, com uma cozinha-show para workshops, preparação de pratos, discussões sobre gastronomia e literatura e chefs como Allan Vila Espejo, Yann Corderon, Claude Troisgros e Bruno Stippe. Confira.

 

A 21.ª Bienal homenageia o escritor brasileiro Monteiro Lobato (1882-1948) e a brasileira nascida na Ucrânia Clarice Lispector (1920-1977).

 

Tudo sobre a bienal no site do evento.

 

21ª Bienal Internacional do Livro. De sexta, 13 a dia 21, das 10h às 22h. Dia 22, até as 20h. Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209). R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada). Grátis para menores de 12 e maiores de 60. www.bienaldolivrosp.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
Bienal do LivroSão Pauloliteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.