Biblioteca Nacional digitaliza mapas dos séculos XVI a XVIII

Mapas da chamada América portuguesa do século XVI ao XVIII poderão ser consultados no site da Biblioteca Nacional na internet a partir de dezembro, informa a edição da revista "Nossa História" que chega hoje às bancas. O projeto "Biblioteca Virtual da Cartografia do século XVI ao XVIII" já digitalizou 1.500 dos 2.000 mapas que fazem parte do acervo cartográfico da instituição, com sede no Rio de Janeiro.Ao longo de dois anos foram selecionadas imagens referentes ao período colonial brasileiro até 1824 quando dom Pedro I outorgou a primeira Constituição do Brasil. A diretora do centro de processos técnicos da Biblioteca Nacional, Zélia Zaher, que concebeu o projeto, disse que será "possível colocar na internet todo o patrimônio cartográfico existente na biblioteca".O acervo digitalizado comporta a coleção da Real Biblioteca que veio para o Brasil com a corte portuguesa e constituiu o acervo principal da Biblioteca Nacional. Tem ainda conjuntos de mapas como os do italiano Pedro de Angelis, bibliófilo que vendeu ao imperador brasileiro em 1853 vasto material reunido na Argentina - sobre Buenos Aires e a fronteira com as possessões portuguesas - ou as Cartas Sertanistas, mapas dos bandeirantes dos séculos XVII e XVIII a respeito das suas explorações territoriais e encontros com os índios e sua exterminação.A chefe de divisão de Cartografia da Biblioteca, Dulce Faria, assinalou que o acervo integra também representações holandesas sobre o desembarque no Brasil e documentos portugueses descrevendo Angola. "Diante da invasão holandesa ao Recife, os portugueses resolveram melhorar o seu aparato militar na capital angolana, demandando, por isso, um mapa - Planta de Luanda, elaborada em 1626 - que demonstrasse à coroa portuguesa as necessidades de reforço", disse Dulce Faria.O acervo da Biblioteca Nacional agora digitalizado incluiu também o Mapa das Cortes, de 1794, assinado pelos ministros de Portugal e Espanha que define a divisão da América do Sul e que substituiu o Tratado de Tordesilhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.