Biblioteca erótica é leiloada por ? 5,6 milhões na França

Sultões cheios de luxúria, sátiros com cara de desejo e criadas voluptuosas foram leiloados na sexta-feira, dentro da coleção de obras eróticas negociada pela Christie´s, com itens que iam desde Sade e Picasso até a heroína do "pornô light" Emmanuelle.O leilão marcou um novo recorde para este tipo de coleção, ao atingir o valor total de ? 5,6 milhões de euros, anunciou neste sábado a Christie´s, ao realizar o balanço do evento.A casa de leilões negociou 554 dos 566 lotes que haviam sido postos a venda. O valor mais alto foi registrado pela obra Souvenirs de Jeunesse, de Mikhail Alexandrovitch von Zichy, que foi adquirida por ? 168 mil, quando a estimativa inicial era de ? 10 mil.A venda, em Paris, da coleção de Gerard Nordmann, um colecionador e bibliófilo suíço, gerou interesse na Europa inteira, e completa o desmembramento de uma biblioteca que Nordmann passou boa parte da vida adquirindo.A Christie´s recusou-se a mostrar o catálogo na Internet, e aparentemente ele atraiu mais colecionadores ricos de livros que caçadores de emoção.Atração de bibliófilosA Biblioteca Nacional da França exerceu seu direito de compra sobre vinte e cinco fotografias com anotações de Pierre Louys, um manuscrito e uma obra deste mesmo autor pelo total de ? 4.440.O diretor do departamento de livros e manuscritos da Christie´s, Christoph Auvermann, destacou que "muitos bibliófilos do mundo inteiro disputaram os livros, manuscritos, desenhos e fotografias contidos neste conjunto excepcional".A coleção incluía uma vasta série de representações gráficas do ato sexual, de desenhos crus a fantasias surrealistas, passando por estampas delicadas de artistas como Pablo Picasso e o mestre japonês Utamaro.A natureza do material contrastava com o clima sério na sala de leilões.Além das figuras, o catálogo incluía edições raras de livros de autores como o Marquês de Sade, o libertino do século 18 considerado um dos clássicos do gênero, com seu La Nouvelle Justine ou Les Malheurs de La Vertu (A nova Justine ou os infortúnios da virtude).Grande parte da coleção pertence aos séculos 18 e 19, com obras e esboços de grandes escritores franceses, de Honoré de Balzac aos poetas Paul Verlaine e Guillaume Apollinaire.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.