Biblioteca de Assunção terá o nome de Roa Bastos

O prefeito de Assunção, Enrique Riera, disse ontem que a prefeitura dará o nome de Augusto Roa Bastos à Biblioteca Municipal e a uma praça na qual será colocado um busto em homenagem ao escritor. Riera, que fez o anúncio após visitar o velório do escritor, que morreu terça-feira, disse que a prefeitura pensa também em colocar o nome de várias das obras de Roa Bastos em ruas da capital paraguaia."Acredito que (Roa) tem a missão cumprida. Nós, como município, pensamos em dar o nome do escritor à biblioteca da Manzana de la Rivera, que tem 60 anos e uma imensa quantidade de livros", disse em declarações aos jornalistas. "Pensamos também em instalar um busto do escritor em uma praça, para que as gerações seguintes se lembrem dele. Analisamos ainda a possibilidade de algumas ruas terem como nome títulos de suas obras".Roa Bastos morreu terça-feira, quando se recuperava de uma cirurgia na cabeça, realizada na sexta-feira depois que o escritor caiu acidentalmente em sua residência. O corpo do mais famoso escritor paraguaio está sendo velado desde ontem na Casa de Cultura de Assunção, onde ficará até amanhã para que seus compatriotas possam dar o último adeus.O caixão de Roa foi recebido, ao chegar à antiga sede do Senado, por autoridades de todos os poderes do Estado, lideradas pelo presidente Nicanor Duarte. Apesar de Roa ter manifestado a vontade de um funeral simples, como ficou expresso em um documento que assinou em 1991, o ato teve apoio oficial e música de uma orquestra de câmara.Duarte, que participou da comitiva que levou o caixão coberto com a bandeira paraguaia para o recinto, elogiou a humildade do escritor. "Sua vida de austeridade, de humildade, de modéstia, é um exemplo para os jovens e para os adultos, principalmente para o mundo da política, da intelectualidade, em que muitas vezes a vaidade é muito forte. Roa Bastos foi um homem humilde", disse Duarte.Várias dezenas de pessoas estavam nos arredores da Casa de Cultura esperando o fim dos atos oficiais para entrar e dar as condolências à família. O governo decretou três dias de luto oficial e as bandeiras ficarão a meio mastro em todos os edifícios do Estado e instituições de ensino. Por escolha da família, o enterro acontecerá na sexta-feira, para que os três filhos do escritor que moram na França - Francisco, Silvia e Aliria - e Mirtha, que mora na Venezuela, tenham tempo de chegar a Assunção. O corpo do escritor será sepultado no jazigo da família no cemitério de La Recoleta, em Assunção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.