Bia Falcão está de volta a Belíssima

A megera mais adorada da TV está de volta para provar que vaso ruim não quebra assim, com tanta facilidade. Para delírio da audiência, vai ao ar hoje a primeira cena de Fernanda Montenegro em Belíssima, depois do sumiço da vilã Bia Falcão. O rumo da novela atende aos pedidos dos telespectadores, mas o autor Silvio de Abreu jura que não é por causa deles que se descobriu agora que Bia não estava a bordo do carro que sofreu um acidente em janeiro. "Desde a sinopse que a história é assim. Bia Falcão desaparece, é dada como morta e volta. Quer dizer, já estava tudo preparado", esclarece o autor, em entrevista ao Estado. "Saiu publicado em outros veículos que o afastamento de Bia estava vinculado a um acordo profissional entre Fernanda Montenegro, a Rede Globo e eu. Não é verdade. Não houve nenhuma imposição, a história era assim desde o início."As explicações de Silvio fazem sentido. A aposta de que a saída de Fernanda tiraria não só o brilho, mas o Ibope da novela, não se confirmou. Mais do que isso, os recordes de audiência do folhetim foram alcançados justamente depois da falsa morte de Bia. "Não tive nenhum problema em continuar as tramas e como o interesse do público foi sempre crescendo, acho que ele também gostou da maneira como a história, com ou sem a Bia, estava sendo contada", avalia o autor.A revelação de que Bia não morreu abre a fase final de Belíssima, quando começa a ser resolvida a complicada trama que envolve a fábrica de lingerie. É com a personagem que estão as principais chaves do enigma - Quem é o mentor do golpe contra Júlia (Glória Pires)? Quem é o filho (ou filha) de Bia? E qual a ligação de tudo isso com os assassinatos de Valdete (Leona Cavalli) e Pedro (Henri Castelli)?Isso, só para citar os mistérios principais. Por enquanto, não dá para saber nem se Bia é de fato a grande vilã da história ou se é uma mera vítima de um malfeitor mais poderoso - talvez aquele que dá ordens a André (Marcelo Antony) pelo telefone. Para cada um dos segredos há muitas possibilidades e, em se tratando de Silvio de Abreu, não devem ser as mais óbvias. "Na verdade, o maior trabalho que tive até agora, e espero continuar tendo até o final, é o de esconder da imprensa as surpresas e os mistérios da novela. Mas esse é um jogo que me estimula bastante, que faço com grande prazer. Só tenho a agradecer por tanto interesse."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.