Beth Carvalho canta a Bahia em novo CD e DVD

Ela é carioca da gema, mas sempre foi ligada a Bahia. Recorda que desde criança foi ensinada pelo pai a gostar do baiano Dorival Caymmi. Com quarenta anos de carreira, ela é há tempos referência do samba e madrinha de outros tantos talentos que despontaram (e que ainda surgem) no mundo do cavaquinho e dos tamborins, como Zeca Pagodinho. Fã incondicional da Cidade Maravilhosa, Beth Carvalho desta vez quis reverenciar o samba na terra onde ele nasceu, a Bahia. E reuniu, claro, amigos arretados para isso. Na lista de convidados, estiveram ninguém menos que Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Danilo Caymmi, Riachão, Armandinho, entre outros ícones mais recentes, como Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown e Margareth Menezes.A concretização de um desejo despertado há dez anos se consolidou em agosto de 2006, quando a sambista registrou este belo show, em companhia de muitos nomes da música baiana, no Teatro Castro Alves, em Salvador. Este "sonho" chegou recentemente às lojas em CD e DVD - "Beth Carvalho canta o Samba da Bahia" -, gravado pelo selo Andança e distribuído pela EMI . "Eu fiz uma pesquisa do samba de roda da Bahia, mas acabei deixando a idéia na gaveta e fui empurrando em razão do lançamento de outros discos. Aí comentei sobre este projeto com meu empresário no início do ano passado, fomos atrás de patrocínio e conseguimos pela Petrobras", conta ela. O período de "gaveta" é visto como positivo para Beth. "Quando aconteceu já era uma idéia mais desenvolvida". Como de praxe, o DVD traz mais faixas que o CD - 30 contra 18. O registro visual traz um bom tempero a mais, com um interessante documentário nos extras.Para montar o repertório, a sambista conta ter sido um processo trabalhoso, mas que se moldou naturalmente ao longo dos anos. "Só de Caymmi ficou um monte de (canções) fora. Para chegar a este conjunto final não foi tão difícil, porque eu já tinha muita coisa na minha cabeça e um panorama bem amplo da Bahia na minha memória", diz Beth, lembrando que não se trata de um disco só de Caymmi. "Também quis mostrar os compositores que estão na Bahia e fazem samba lá". Entre Caymmi e outros compositores, e com figurino a caráter para devoção aos santos, Beth interpreta "Agradecer e Abraçar", "Maracangalha", "Chiclete com Banana", "Eu não Tenho Onde Morar", "Desde que o Samba é Samba" e "Brasil Pandeiro" (famosa na versão dos Novos Baianos), além de "Samba Pras Moças" e "Verdade", composições, respectivamente, de Roque Ferreira e Nelson Rufino, e que foram sucessos na voz de Zeca PagodinhoNo último sábado, a sambista homenageou Noel Rosa, no Rio, em razão do Dia Nacional do Samba. Se cercou de nomes da nova geração do samba, como Teresa Cristina, Diogo Nogueira e Leandro Sapucahy. Representantes paulistanos também marcaram presença, como o Quinteto em Branco e Preto e Verônica Ferriani. Mas como o assunto do momento é Bahia, Beth Carvalho também levou aos cariocas uma voz ainda desconhecida do grande público: Marienne de Castro, que está, inclusive, em seu novo disco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.