Bento XVI não gosta de histórias de Harry Potter

O papa Bento XVI, quando ainda era cardeal Joseph Ratzinger e prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o antigo Santo Ofício, criticou a obra da escritora J.K. Rowling, autora de "Harry Potter", por considerar que os livros do bruxo "minam o espírito da cristandade". Bento XVI fez as declarações após abençoar Gabriele Kuby, autora do livro "Harry Potter - Bem ou Mal", publicado na Alemanha, que revela os supostos segredos da popular série do aprendiz de mago.Já o padre britânico Peter Fleetwood declarou que os livros de Harry Potter ajudam as crianças a compreender a diferença entre o bem e o mal, informa nesta quinta-feira o jornal The Times. "Não acho que ninguém tenha crescido sem o mundo imaginário das feiticeiras, dos magos e das bruxas", declarou Fleetwood em uma conferência no Vaticano.Além disso, o sacerdote garantiu que os magos e as bruxas "não são maus nem representam um símbolo de ideologias anticristãs". Austen Ivereigh, porta-voz do arcebispo de Westminster, cardeal Cormac Murphy O´Connor, a maior autoridade católica da Inglaterra e País de Gales, disse que, embora os comentários do papa possam ter parecido um pouco fortes, os católicos não devem se sentir afetados por isso, informou o The Times.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.