Benedito Ruy Barbosa aposta alto em "Esperança"

Há mais de um mês que Benedito Ruy Barbosa não põe os pés para fora de casa. Durante esse tempo, o autor da Globo - responsável por vários sucessos da tevê brasileira como Sinha Moça, Pantanal, Renascer e O Rei do Gado - vem trabalhado quase compulsivamente para entregar os capítulos de Esperança, a novela que irá substituir a bem-sucedida O Clone, de Glória Perez. A trama estréia exatamente daqui a duas semanas, dia 17, cercada de muita expectativa.A maior de todas é quanto ao desempenho no Ibope. Para pressionar ainda mais o autor, O Clone andou superando a marca dos 60 pontos de audiência. Número quase atingido por Terra Nostra, a novela anterior de Benedito, apontada como um dos maiores sucessos da gestão Marluce Dias da Silva, superintendente-executiva da Globo.Completando a lista de expectativas, Esperança, inicialmente chamada de Terra Esperança, estava prevista para ser uma continuação de Terra Nostra. A idéia acabou não vingando, mas a nova novela também irá abordar a saga dos imigrantes, em especial, italianos. Sendo assim, a comparação entre as duas parece inevitável. Especialmente porque, no elenco da nova atração, alguns atores "queridinhos" do autor, e que atuaram em Terra Nostra, aparecem de novo.Esperança começa nos anos 30, na época da crise mundial que levou milhares de europeus a imigrarem para a América em busca de uma vida melhor. Como Terra Nostra, a novela mostrará as dificuldades dos imigrantes na luta diária para sobreviver no Brasil e o dia-a-dia das famílias brasileiras em uma época marcada pelo desemprego e a pobreza.O único novato a encabeçar o elenco da nova novela é Reynaldo Giannechini, no papel do protagonista Toni. Os demais - Antônio Fagundes, Raul Cortez, Ana Paula Arósio e Maria Fernanda Cândido - estrelaram as mais recentes produções de Benedito, inclusive Terra Nostra. Em entrevista ao JT, o autor falou sobre a escalação dos atores e sobre seu processo de criação.Antônio Fagundes, Maria Fernanda Cândido, Ana Paula Arósio e Raul Cortez são seus queridinhos? Benedito Ruy Barbosa - Mas que pergunta é essa?! (em tom de brincadeira.) Não fale assim, se não me complica com o elenco. Gosto muito do trabalho deles, mas tem mais gente excelente escalada para minha nova novela. O Giannechini, por exemplo, nunca esteve tão bem. O público vai se surpreender com a densidade dramática dele.Há uma comparação entre "Esperança" e "Terra Nostra". Como você está lidando com ela? Estou escrevendo sem me preocupar com Ibope ou com comparações. Na verdade, não escrevo para essas pessoas que não têm cabeça para perceber as sutilezas de uma boa trama. Esperança e Terra Nostra não têm nada a ver uma com a outra. E se for feita uma comparação, Esperança está bem melhor. Vi algumas imagens e me emocionei muito. Estão lindíssimas.Você e Luiz Fernando Carvalho (diretor da trama), por serem bem detalhistas, têm fama de atrasarem capítulos. No entanto, "Esperança" está bem adiantada. Graças a Deus! Está tudo indo muito bem. Agora já entramos na fase das gravações nos estúdios da Globo e pretendemos entregar 20 capítulos gravados e 40 escritos. Não quero ficar com essa fama de atrasado. Não acho justa com o meu modo de trabalhar, repleto de paixão pela trama.Como tem sido sua rotina de trabalho? Estou escrevendo direto, sem sábados, domingos ou feriados, durante aproximadamente 10 horas por dia. Nesse último mês nem saí de casa. Como colaboradoras, tenho minhas filhas (Edmara e Edilene) que lêem todos os capítulos comigo e conhecem os rumos dos personagens. É uma forma de precaução, para caso eu sofra algum problema de saúde durante a novela, o que não vai acontecer. Qual a sua expectativa em relação a ela? A novela vai ser ótima, um sucesso. Desde que as chamadas começaram a ser veiculadas, meus três telefones não param de tocar. Só recebo cumprimentos pela beleza das cenas. Agora é esperar a estréia e assistir ao primeiro capítulo, em casa, cercado pelas minhas filhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.