Ben Affleck dirige e protagoniza 'Atração Perigosa'

Ben Affleck teve a imagem desgastada por papéis em melodramas de pouca profundidade, como "Armageddon" (1998), o épico patriótico "Pearl Harbor" (2001) e até a aventura heroica "Demolidor" (2003). Isso o distanciou do início brilhante de carreira, quando conquistou o Oscar pelo roteiro de "Gênio Indomável" (1997). Em sua segunda experiência como diretor, no entanto, Affleck ganha sobrevida e, com "Atração Perigosa", conquista a simpatia daqueles que o viam apenas como mais um galã. Longa estreia hoje nos cinemas.

AE, Agência Estado

29 de outubro de 2010 | 10h35

O título original da produção, "The Town" (a cidade), prepara o espectador para o universo em que o diretor se aventura. A inspiração vem dos gângsteres dos anos 30 para visitar uma cidadezinha vizinha a Boston, Charlestown, famosa nos noticiários pelos numerosos roubos a banco. As quadrilhas, especializadas nesse tipo de crime, agem com exímia habilidade, disfarces teatrais e armamento reforçado. À frente de uma dessas gangues está Doug McRay, vivido justamente por Affleck. Mesmo aqui, o personagem parece pender do posto de vilão para o de um mocinho, a quem a vida não deu escolhas, tamanho o poder de encantamento da cara de bom moço de Affleck. Posto isso de lado, a quadrilha arma outra de suas roubalheiras.

Numa ação impensada, seu integrante mais violento e irracional - interpretado por um vibrante Jeremy Renner (do ganhador do Oscar "Guerra ao Terror") - carrega a gerente do banco (Rebeca Hall) como refém. Cria-se uma situação nova aos bandidos. Depois de liberá-la na beira da estrada, o receio de que a moça possa identificá-los à polícia requer um novo estratagema. McRay decide segui-la nos dias seguintes e o desenrolar dessa trama aí já se torna previsível.

Vulnerável após a experiência traumática, Claire, a gerente, atrai a compaixão do criminoso, que arrisca a pele para se aproximar dela. Os dois, apesar de serem de mundos tão díspares, logo se apaixonam - claro, ele com a real identidade escondida da moça. Outra atuação que merece menção é a da estonteante Blake Lively, famosa pela série de TV Gossip Girl, que dá vida a uma prostituta, mãe solteira e viciada que se apega, em vão, ao protagonista para formar a família que nunca teve. As informações são do Jornal da Tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.