Belos vestidos marcam moda outono-inverno no Fashion Rio

Tessuti faz passarela vermelho-sangue, dramática, e a top Isabeli Fontana abrindo e fechando o desfile

Roberta Pennafort, de O Estado de S. Paulo,

13 de janeiro de 2009 | 20h10

Belos vestidos de festa desfilaram pela passarela do  Fashion Rio nesta terça, 13. A Tessuti apostou no preto quase total, que cedeu lugar ao vermelho somente em seis modelos. A marca, desde o ano passado com nova diretora de criação, Fafá Cosenza, mesclou referências como o estilista italiano Valentino e a feminilidade das bailarinas e das rosas. As flores adornaram cinturas e costas, assim como grandes laçarotes, que desceram também aos pulsos e subiram para complementar o penteado das modelos.   Veja também: Confira a galeria de fotos da 14.ª edição do Fashion Rio Lilica Ripilica abre a passarela do Fashion Rio Coleção da Sta Ephigênia é inspirada na África Grazi Massafera faz sua estreia no Fashion Rio Cauã Reymond encerra desfiles e arranca aplausos    A Tessuti fez sua passarela vermelho-sangue, dramática. Entre suas peças, vestidos acinturados de diferentes comprimentos, usados sobre blusas segunda-pele e acompanhados de luvas, casacos de golas estruturadas e blusas românticas. Vistosas joias encheram os olhos da plateia. A top Isabeli Fontana abriu e fechou a apresentação. "Montamos uma mulher corajosa e forte, delicada e sensível, como é a marca Tessuti", disse Fafá.   Em seu segundo desfile no Fashion Rio, a grife carioca Filhas de Gaia trouxe uma coleção cheia de vestidos bem justos e curtos, além de ombros que remetiam aos anos 80. As estilistas Marcela Calmon e Renata Salles, amigas de infância apaixonadas por moda, que lançaram a marca em 2005, quando tinham menos de 20 anos, vislumbraram seu outono-inverno através de vitrais de igrejas góticas, que estamparam algumas peças.   "É um inverno um pouco gótico, mas, ao mesmo tempo, quisemos colocar cor", explicou Marcela. Nessa brincadeira, em meio a muito preto e tons metalizados, teve lugar até para o amarelo fluorescente. O desfile teve como estrela a atriz e modelo Letícia Birkheuer, que abriu a passarela num tubinho branco. No fim, ela surgiu com um vestidão preto bem estruturado na saia. A modelo já havia participado da estreia da marca na semana de moda, em junho de 2008. Conhecida por sua moda de festa, a Filhas de Gaia se diz marcada pela "transgressão chique" e pela busca de um "mix de sofisticação com arte", o que se traduziu em recortes assimétricos e, ao mesmo tempo, investimento em tecidos nobres, como o cetim de seda pura e o tafetá de seda (lado a lado com couro metalizado e colorido).   A estilista Daniela Conolly, que também deu seu primeiro voo solo na edição passada do Fashion Rio, propôs uma retrospectiva de sua carreira, iniciada quando ela ainda dava expediente como diretora de arte. Sua grife, a Koolture - egressa do Rio Moda Hype, para jovens estilistas, assim como a Filhas de Gaia -, trouxe muito brilho (seja em blusas, ou em saias, casacos, coletes ou vestidos), cores fechadas (predominaram preto, marrom, grafite e vinho) e saltos assustadoramente altos. Ela pensou em mulheres que a fascinam: de Maria Antonieta a Madonna.   "É uma coleção um pouco mais sofisticada, talvez porque eu esteja uma mulher mais madura. Tem a ver com minha vida agora. Eu mudei muito depois que tive filho", contou Daniela, que desfilou no ano passado grávida de cinco meses. Essa sofisticação surgiu em comprimentos maiores e calças de cintura mais alta. Desfilam hoje Printing, Marcella Virzi, Cláudia Simões, Cantão, Apoena e Graça Ottoni.   Hoje, foi aberto o Fashion Business, bolsa de negócios considerada "o diferencial" do Fashion Rio por seus organizadores. Trinta compradores internacionais, das Américas, Europa e Ásia vieram conhecer as coleções de 200 marcas, vindas de diferentes pontos do Brasil, desde o Rio grande do Sul ao Ceará. Estão programados desfiles técnicos de seis grifes, que mostrarão suas criações para os compradores brasileiros (a maior parte, de lojas multimarcas) e de fora.   Na última edição de outono-inverno do Fashion Rio, há um ano, o volume de vendas para o mercado interno chegou a R$ 370 milhões, enquanto as exportações, a US$ 15,5 milhões - cresceram 10% em relação a 2007. Para este ano, não foram feitas projeções por conta da crise internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
fashion rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.