Belezas que só o mar leva. E traz

Gravado por Maria Rita, Roberta Sá, Zélia Duncan e Fernanda Abreu, para ficar entre suas intérpretes mais conhecidas, o compositor carioca Rodrigo Maranhão jura que não reserva músicas para ele próprio cantar. Dono de um belo CD de estreia, Bordado (2007), Maranhão está lançando Passageiro (Universal), com 12 faixas, sendo 11 só suas - a 12.ª tem letra de Pedro Luís, companheiro de outras paragens.

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2010 | 00h00

"Eu meio que me isolei para fazer o disco. Compor, para mim, é um momento especial, tenho dificuldade de dividir", conta Maranhão, que, por outro lado, também tem seus momentos coletivos: ele é o fundador do grupo Bangalafumenga e integrante do Monobloco, dois fenômenos do carnaval carioca.

Em Passageiro, Maranhão fala de seu ofício, seu lugar no mundo, do mar que leva e traz versos, e que está presente não só nas temáticas (a palavra aparece em metade das músicas), mas também nas belas fotografias do CD, que remetem ao tal isolamento necessário à composição: a capa mostra um Rodrigo circunspecto, numa praia, observando as ondas.

No estúdio, seu instrumento foi principalmente o violão. O baixo ficou com Thiago Sábbato e o acordeom, com Marcelo Caldi, dois músicos que já estavam a seu lado. Maranhão chamou ainda gente que admirava e com quem ainda não tinha trabalhado, como Marcos Suzano, Silvério Pontes, Siba e Zé da Velha.

"O momento agora é diferente, eu estou muito mais aberto para chamar gente, e isso transforma o disco", conta Maranhão, que tem 39 anos e 15 de carreira, mas não se importa de ainda ser incluído na categoria revelação.

Duas canções são antigas, e quase entraram no primeiro CD, Camaleão e Maria Sem Vergonha. Sonho já existia, nas vozes do Garganta Profunda. A enxuta Valsa Lisérgica, a tal parceria com Pedro Luís, havia sido composta para uma montagem do grupo Nós do Morro de Sonhos de uma Noite de Verão. Quase Fado conta com participação do cantor português António Zambujo, que inspirou a composição e, em retribuição, replicou a canção em seu novo CD, Guia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.