Bela Vista ganha projeto de recuperação em SP

Empresas, associações de moradores,Prefeitura e o governo do Estado reúnem-se amanhã para lançar o projeto Bela Vista Viva! A proposta é revitalizar um dos mais antigos bairros da cidade, também conhecido como Bexiga. O encontro ocorre às 11h30, no Teatro Sérgio Cardoso. A iniciativa partiu dos grupos CIE Brasil (dono do Teatro Abril), Hudson Petróleo (Teatro Brasileiro de Comédia) e Silvio Santos (Teatro Imprensa). Eles já vêm investindo na região, assumindo encargos como a instalação de semáforos e amanutenção da pintura de vias públicas. Segundo a Assessoria de Imprensa do Grupo Silvio Santos, a idéia é reunir um número maior de investidores para fazer a recuperação geral do bairro.Conhecido por suas cantinas, bares e teatros, o Bexiga vem perdendo público para bairros como Vila Madalena, Pinheiros e Moema. O diretor de Desenvolvimento da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), Horácio Galvanese, admite que a falta de segurança e o abandono do bairro afastam os freqüentadores. Ele disse que o objetivo da parceria é resgatar a imagem de pólocultural do Bexiga, que tem perto de cem teatros.Galvanese não deu detalhes do projeto nem estimativas dos recursos necessários para recuperar o bairro. De imediato serão providenciadas a limpeza dos baixos dos viadutos e vias públicas, a recuperação da pintura de calçadas e praças. "Vamos oferecer toda a estrutura para o Bela VistaViva!, que ficará responsável pela captação dos recursos", disse o diretor da Emurb. Ele acredita que as obras mais expressivas só terão início a partir de 2002.A primeira etapa do programa, ainda sem data prevista para começar, compreende a reestruturação das Ruas Major Diogo, Jaceguai , Humaitá e Avenida Brigadeiro Luís Antonio. Nessa fase a Praça Pérola Byington também passará por remodelação, com troca dos brinquedos, calçamento, conserto de grades e reformulação paisagística.O Grupo Silvio Santos, que já mantém no Bexiga a sede de várias de suas empresas e o Teatro Imprensa, planeja investir no bairro cerca de R$ 75 milhões. Segundo sua Assessoria de Imprensa, os recursos serão injetados na construção de um entro de entretenimento, que depende da aprovação do Ministério Público. A assessoria informou que o projeto não faz parte do pacote de revitalização do bairro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.