Beatriz Segall recupera sessão dupla aos sábados

Diante do sucesso de público da peça Estórias Roubadas, dirigida por Marcos Caruso, em temporada no Teatro Renaissance, a atriz Beatriz Segall resolveu arriscar a volta da dupla sessão aos sábados. "A peça tem tido uma ótima recepção de público, felizmente, mas nos demos conta de que existem muitos espectadores em potencial, que não vão ao teatro porque temem sair à noite", afirma Beatriz. Por essa razão, ela decidiu criar uma sessão extra, aos sábados, no horário das 17h30.O horário incomum pode atrair não só os que temem sair à noite como os que preferem ir ao teatro mais cedo e ficar com a noite livre para um outro tipo de programação. E os que não abrem mão da sessão noturna não têm porque se preocupar. A atriz vai manter o tradicional horário das 21 horas.Há muito os teatros deixaram de ter sessão dupla nos fins de semana. Recentemente, o Grupo Tapa, dirigido por Eduardo Tolentino, foi um dos poucos que ousaram fazer sessões vespertinas - sem abandonar o tradicional horário noturno -, na tentativa de conquistar o público que trabalha no centro da cidade, local da sede da companhia, o Teatro da Aliança Francesa. Obteve bons resultados. Com Estórias Roubadas não deve ser diferente."Mesmo sendo um horário incomum e ainda pouco divulgado, na quarta-feira já tínhamos cem ingressos vendidos para o sábado", comemora Beatriz. Ela foi a responsável pela escolha do texto do americano Donald Margulies. Trata-se da primeira peça desse autor de 44 anos a fazer sucesso além das fronteiras dos Estados Unidos.Beatriz Segall também foi responsável pelo convite ao diretor Marcos Caruso e pela escolha da jovem atriz Rita Elmôr, para dividir com ela o palco do Renaissance. "Em ambos os casos dei muita sorte", diz Beatriz. "Marcos foi um achado na minha vida profissional; fez uma direção inteligente e nos entendemos muito bem."Se Beatriz deu sorte ao escolher Rita Elmôr, a jovem atriz não foi menos sortuda. Afinal, profissionalmente, ela havia atuado apenas no monólogo Que Mistérios Tem Clarice. "Ela é viva, alegre e tem uma vida interior muito intensa, qualidade muito importante numa intérprete", afirma Beatriz.Estórias Roubadas mostra o relacionamento da professora universitária e escritora de sucesso Ruth Steiner com sua aluna, assistente e aspirante à escritora Lisa Morrison. O público acompanha seis anos de relacionamento entre ambas, desde o primeiro encontro na casa de Ruth, onde uma Lisa deslumbrada se desmancha em elogios à professora, uma espécie de ídolo e modelo intelectual.A partir daí, ambas vão fortalecendo, paralelamente, tanto seus laços profissionais quanto pessoais, até o embate final, causado por uma espécie de curto-circuito entre essas duas facetas da relação. A difícil delimitação entre plágio, influência ou homenagem é tema central - e polêmico - da peça.Estórias Roubadas. Drama. De Donald Margulies. Direção de Marcos Caruso. Duração: 2 horas (com 15 minutos de intervalo). Sexta, às 21 horas; sábado, às 17h30 e 21 horas; domingo, às 18 horas. R$ 30,00 e R$ 40,00 (sábado). Teatro Renaissance. Alameda Santos, 2.233, em São Paulo, tel. 0-XX-11-3069-2233. Até 2/7.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.