Beatlemaníaco mais jovem aprova

Ele só lamentou que nenhum colega de escola tivesse vindo com ele. Rafael Jettar, de 7 anos, era o mais jovem beatlemaníaco no Morumbi. "Gostei mais quando ele tocou Let it Be. E aquela que soltou fogos (Live and Let Die)", ele disse.

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2010 | 00h00

Rafael virou celebridade instantânea na área VIP. Com uma camisetinha dos Beatles, estava acompanhado do pai, o fanático Jorge, da mãe, Juliana, e da irmã, Gabriela, de 10 anos. "Não sabíamos se eles iriam aguentar bem, porque é um show longo. Mas adoraram, não demonstraram nem cansaço nem decepção", disse Juliana, a mãe. Juliana conta que Rafael ouve Beatles desde bebê, mas que tem suas próprias predileções. Ela temia que as versões ao vivo não fossem iguais às dos discos, e ele se frustrasse.

"Mas ele adorou." O pai, Jorge, beatlemaníaco de carteirinha, voltaria ontem ao Morumbi. "Como ele veio anteontem só para "administrar" a gente, voltou para curtir e ouvir tudo com atenção", divertia-se Juliana. "Paul foi muito simpático. Não tomei guaraná, não tomei nada. Só fiquei vendo o show", contou o garoto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.