BBC revela inéditos de Ella Fitzgerald

Box com CD e DVD traz cenas e canções de uma mulher que descontava os desprazeres da vida em cada nota

Roberto Muggiati, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

Milagres acontecem: arquivistas da emissora inglesa BBC encontraram fitas com apresentações de Ella Fitzgerald entre 1965 e 1977. Esse material, quase todo inédito, foi remasterizado e embalado numa digipack de luxo com CD, DVD e amplo encarte assinado pelo biógrafo da cantora, Stuart Nicholson. Lançado aqui pela Som Livre, Ella Fitzgerald/Best of the BBC Vaults, cumpre o que promete: é ouro puro.

São 35 faixas (18 no CD, só áudio) de gravações ao vivo entre 1965 e 1977, cobrindo um período rico da maturidade da cantora, dos 48 aos 60 anos. As edições do Show of the Week (Ella Fitzgerald Swings e Ella Fitzgerald Sings), de 1965, são em preto-e-branco. Ella aparece com uma blusa decotada de lantejoulas, colar de pérolas, lenço na mão e a peruca loura que estreou em Las Vegas, em 1964, e se tornou sua marca por mais alguns anos. Com esse visual, e a silhueta mais esbelta, a cantora exibe até uma brejeirice pouco usual. Ella é acompanhada alternadamente pelo trio do pianista Tommy Flanagan e pela orquestra inglesa de Johnny Spence, vestida a rigor, 30 figuras entre cordas e metais - a rádio da Rainha não poupou recursos para acolher a diva.

Vale situar o contexto: Geoffrey Mark Fidelman relata em Ella Fitzgerald / A Primeira Dama do Jazz: "Os álbuns de Ella não vendiam mais como no final dos anos 50 e início dos 60. Lentamente sua vida musical foi se transferindo: de estrela da gravação para estrela de shows. (...) Tudo era inglês, inglês, inglês."

Em 1965, Ella estava na toca do leão. Mas os ingleses a adoravam, como fica flagrante nestas apresentações. Intensificando sua agenda de shows, era capaz de cantar uma noite no Carnegie Hall de Nova York, a seguinte em Caracas, Venezuela, e a terceira noite no Hollywood Bowl. Em 1965, a revista Time escreveu que Ella era "uma hiper milionária e podia pagar um guarda-roupa assinado por Don Loper e redecorar interminavelmente sua casa em Beverly Hills." A esta altura, poderia descansar numa ilha ao sol, mas aposentadoria não era com ela. Viver no palco, para Ella, era um modo de preencher a solidão - depois de dois casamentos fracassados, uma relação difícil com o filho adotivo e casos avulsos insatisfatórios.

No módulo seguinte do DVD, em 1974, agora já em cores, somos espectadores privilegiados no templo londrino do jazz, o Ronnie Scott"s Club. Ella tem 57 anos, apresenta-se de óculos, peruca morena, vestido creme longo, fechado no pescoço, e ostenta um ar mais matronal. Junta-se ao trio de Tommy Flanagan o guitarrista Joe Pass, amigo de Ella até morrer, em 1994, dois anos antes dela. Se o excesso de trabalho desgastou a cantora física e emocionalmente, ela compensa em emoção e criatividade o que perdeu em técnica. Um exemplo é a sua interpretação do clássico dos Gershwin, The Man I Love, com 8 minutos e 10 segundos, uma das faixas mais longas do DVD. Com sua variedade de andamentos, é uma verdadeira enciclopédia da arte de cantar standards, com direito a citações de Diamonds Are A Girl"s Best Friend, My Heart Belongs to Daddy e outros. E, para mostrar que standards não são exclusividade dos EUA, Ella entoa, só com a guitarra de Joe Pass, a bela balada The Very Thought of You, do band-leader inglês Ray Noble.

O último módulo traz Ella e o trio de Tommy Flanagan no Festival de Montreux de 1977. Óculos, mesma peruca morena, vestido branco estilo mexicano, mais juvenil, a cantora tem 60 anos e ainda exibe uma forma invejável. Atreve-se a encarar My Man, um clássico da arquirrival Billie Holiday. Ironicamente, tinham mais em comum do que aparentavam: abuso sexual na infância, trabalho em bordel na adolescência, azar no amor, a vida trocada por uma canção. Billie queimou rápido e apagou aos 44 anos. Ella prolongou a dor, sublimando-a pela música, ao longo de 57 anos de carreira, distribuindo generosamente a beleza do seu canto.

BEST OF THE BBC VAULTS

Preço médio: R$ 46,90

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.