, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2010 | 00h00

Lembra daquela canção romântica dos anos 60, "Io que non vivo senza te"? Pino Donaggio, o compositor, foi homenageado pelo festival como um dos mais prolíficos autores italianos. Donaggio é mesmo homem de cinema: compôs a música de mais de 200 filmes. Entre eles, de diretores como Brian de Palma, Joe Dante, Dario Argento e Liliana Cavani. Fora o que fez para TV.

Palpites

Com o festival chegando perto do fim, começam os chutes sobre prováveis vencedores. Os jornais tentam adivinhar o resultado, apostando no gosto do presidente do júri, Quentin Tarantino. Assim, o grotesco Balada Triste de Trompeta, do espanhol Álex de la Iglesia, parece bem cotado para levar o Leão, amanhã. Mas os sóbrios Post Mortem, do Chile, e Ovsyanki, da Rússia, também encabeçam a lista. Mas, claro, o presidente do júri tem seu peso, mas não vota sozinho. Pode induzir os outros, mas não é um monarca com poder absoluto. E, até agora, não apareceu nenhuma unanimidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.