Barcelona festeja 150 anos de Gaudí

"Nossa proposta é fixar o olhar sobre a obra do arquiteto Gaudí durante todo o ano de 2002, diz Russend Casanova, coordenador do programa cultural Gaudí 2002, idealizado para alcançar grande repercussão internacional, neste ano em que se comemora os 150 anos de nascimento de um dos gênios da arquitetura mundial. Antonio Gaudí nasceu em 25 de junho de 1852 e morreu atropelado por um bonde em 10 de junho de 1926. O programa envolve exposições, festivais de música, poesia, flamenco, seminários, concertos, com direito a manifestações da última palavra da arte catalã invadindo em contraponto o Park Güel, com as cores luminosas de suas "estátuas", como chamam as esculturas humanas que as caracterizam. O ponto alto das comemorações começa agora, com a chegada do verão europeu, quando Barcelona atrai turistas do mundo inteiro, por sua privilegiada localização à beira-mar. Para recepcioná-los, foi criado um ônibus turístico denominado "Gaudibus" que faz um tour passando pelas obras do arquiteto, como sua obra inacabada, a Igreja da Sagrada Família, Casa Batlló, Casa Calvet, Casa Millà (La Pedrera), ou Park Güel. É preciso percorrer Barcelona para conhecer a obra arquitetônica de Gaudí.Entre as 35 exposições programadas só para Barcelona, uma das que merece destaque é Gaudí, Entornos, no Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona. Trata-se de uma espécie de retrospectiva, que reproduz aspectos históricos e artísticos da época de Gaudí".Outro destaque é a mostra Gaudí: Arte y Diseño composta por obras pouco conhecidas do público em geral, por se tratar de uma reunião de peças de mobiliário ou objetos ornamentais desenhados por Gaudí, "mas que jamais foram expostos publicamente", garante Casanova.Uma terceira exposição, Gaudí: Espacio, Geometría y Constrcción, no Museu de História da Cidade de Barcelona, "talvez seja mais importante e inusitada de todas, por ser a primeira vez que será mostrado o processo do trabalho do arquiteto, desde suas maquetes, desenhos, projetos, enfim, todas as etapas que ele cumpria antes de entregar ou concluir uma obra".Além das exposições, o ano Gaudí foi programado para revelar também, segundo Casanova, "aspectos da sociedade em que o arquiteto vivia, suas relações com seus pares, sua amizade com seus mecenas, especialmente com os Güel, "que tantos frutos deixaram para a arte mundial e para a Cidade de Barcelona".Até nas Universidades de Barcelona e na de Girona, seminários e simpósios dominam a programação de estudos e discussões sobre Gaudí.Estilo único - Gaudí formou-se arquiteto em Barcelona em 1878 e fez parte da geração modernista, nome dado ao movimento catalão que conhecemos como art nouveau, característico da passagem do século 19 para o 20, marcado pelas formas orgânicas, traços sinuosos e imaginativos. Mas, o estilo do arquiteto catalão escapa de qualquer tentativa de classificação.A primeira obra importante de Gaudí foi a casa Vicens, construída entre 1883 e 1888 para um negociante de cerâmica. Mas foi a família Güell que financiou sua arquitetura exótica, especialmente o conde Euseb Güell, amigo de muitos anos, com quem idelaizou o Park Güell. O parque, que começou a ser construído em 1901, foi planejado para ser um condomínio residencial fechado, mas o projeto foi abandonado em 1914 e o local tornou-se o principal parque da cidade.A última década de sua vida, Gaudí dedicou esclusivamente a sua principal criação, a Igreja da Sagrada Família, que começou a ser construída em 1908. Até agora, passados 118 anos, estima-se que apenas 35% a 40% da obra esteja concluída.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.