Banheiro é cenário para jóias de Herchcovitch

O banheiro de uma mansão no Jardim Europa, na Casa Rhodia, foi o local escolhido pelo estilista Alexandre Herchcovitch para estrear sua mais nova empreitada: uma coleção de jóias, que estará exposta hoje para convidados e chega às lojas em outubro. O estilista, que na última edição do Morumbi Fashion surpreendeu com a apresentação de sua coleção masculina, cujo casting era composto somente de meninos de doze anos, mostra que tem talento para chocar. Segundo Herchcovitch, a escolha do banheiro como local de exposição é adaptadíssima para a exposição de jóias. "O banheiro é um espaço limpo e sereno, uma espécie de uma galeria de arte com paredes brancas que não criam nenhum tipo de interferência", explica. A coleção de preciosidades de Herchcovitch vêm afirmar a boa fase que o estilista está vivendo. Um dos únicos brasileiros a conseguir fazer parte do calendário oficial da semana de desfiles de prêt-à-porter, em Paris, Herchcovitch vêm mostrando sua versatilidade para se aventurar em novas empreitadas. Além de sua grife de moda, o estilista desenha a coleção feminina da Zoomp, uma linha de lingerie e meias produzidas pela Puket e Liz e agora as jóias que serão desenvolvidas e confeccionadas pela D. Design. São cerca de quarenta itens que vêm atender a um segmento até então inexplorado: o mercado de jóias para modernos. Mas para quem pensa que as peças são com materiais menos importantes por atender ao público descolado se engana: Herchcovitch usa e abusa de pedras preciosas, brilhantes, safiras e ouro amarelo e branco.O fio condutor da coleção são as formas geométricas exploradas nas suas inúmeras possibilidades. São anéis quadrados partidos formando dois triângulos, que podem ser usados isoladamente ou em conjunto completando a forma de um cubo. A versatilidade também está na maneira como é possível combinar as faces dos triângulos criadas com safira rosa, safira azul e diamantes. "Sou apaixonado pela forma de cubo e também procuro explorar isso nas minhas roupas e como nas jóias sempre há uma limitação de materiais sólidos achei que seria ideal", comenta Herchcovitch. Nesta mesma proposta há também pulseiras quadradas lisas em ouro branco e amarelo ou em diamante, colares com formato de esferas cravejadas de safiras e diamantes e o bem humorado anel "dado de jogo" com as faces cravejadas em diamante. Mas o mais inusitado são as peças tiradas do universo das tribos urbanas dos punks, clubbers e pops. O anel duplo, que lembra um mini soco-inglês já virou febre ? ele vêm em ouro e diamante. Há também brochês em estilo anos 80, aqueles bottons que já foram mania e foram reeeditados pelo estilista em ouro e pedras em três versões: com a inscrição "Love" em diamantes, com uma caveira também em diamantes, símbolo da grife de Herchcovitch e um coração em rubi ou brilhantes. Uma das peças que promete ser o hit são as pulseiras do Senhor do Bonfim. Mais uma vez Herchcovitch usa ícones populares transformando-os em um luxo só. Elas vêm em versões de couro colorido, caramelo, coral, rosa, verde-limão, preto, marrom e cru, com o fecho em ouro branco ou amarelo. "Acho que esta peça vai vender muito, é uma coisa muito mística que eu sempre gostei", diz o estilista. A pulseira escrava também remete às origens brasileiras, confeccionada em ouro com direito a cadeado para trancar o pulso. Outra jóia inusitada é a pulseira cinto com as fivelas e as ponteiras cravejadas de brilhantes combinadas com materiais como jeans e versões pretas. Segundo Herchcovitch, as jóias não foram criadas para casar com sua coleção jeanswear ou prêt-à-porter. "Pretendo conquistar meu público mas outros também", diz ele. A coleção será comercializada na Dryzum e na Daslu. Na loja do estilista estarão à venda apenas as peças mais baratas. Os preço variam de R$ 600 a R$ 30 mil. Para o final do ano, o estilista pretende lançar uma coleção com peças masculinas como abotuaduras, chaveiros, pulseiras e correntes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.