Bandeirantes e Reuters firmam aliança

A Rede Bandeirantes firmou uma aliança estratégica com a Reuters, maior agência de notícias do mundo, criada há 150 anos na Inglaterra. Pelo contrato, assinado na terça-feira e com validade de três anos, a Band passa a contar com apoio logístico da agência em 76 cidades de vários países onde a Reuters mantém estúdios de TV. Ou seja, a emissora envia o correspondente e a agência cuida do restante da operação. Inicialmente, essa cooperação é válida apenas para Washington e Nova York. A próxima cidade será Buenos Aires. Em Washington, a paisagem de fundo dos estúdios é a Casa Branca.O acordo também prevê o fornecimento de notícias ao vivo 24 horas por dia, nove periódicos diários que somam sete horas de conteúdo, features (programas de ciência, moda, cultura, esportes e política), além do planejamento conjunto de grandes coberturas internacionais. Canal 21, Band News e as rádios do grupo Bandeirantes estão incluídas no contrato."Um acordo dessa dimensão amplia muito o nosso horizonte de ação", afirma Fernando Mitre, diretor de Jornalismo da Bandeirantes. "Estamos celebrando a união de duas tradições de jornalismo. A Band sempre apostou na cobertura ao vivo.""Temos 500 jornalistas operadores de câmera pelo mundo todo, que se reportam a três escritórios centrais - Londres, Cingapura e Washington. Toda essa estrutura estará a disposição", fala Ricardo Diniz, presidente da Reuters no Brasil. "E nosso contrato tem poder de expansão."No mercado, a aliança Band-Reuters foi lida como uma resposta da família Saad à recusa da CNN em fornecer conteúdo para o canal pago de notícias Band News, no ar desde março. Em abril, Johnny Saad, presidente da Rede Bandeirantes, chegou a enviar uma carta à CNN cobrando explicações. Embora tivesse se comprometido com o Band News, a emissora de Ted Turner teria um contrato de exclusividade com o rival Globonews.A Reuters está em 160 países, com uma equipe de 2.100 jornalistas. Um dos nomes ilustres que passaram pela agência foi o escritor Ian Fleming, criador do agente secreto James Bond.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.