Banco do Brasil lança projeto de centro cultural

O Banco do Brasil (BB) vai inaugurar em Brasília, em outubro, um amplo e moderno espaço destinado a eventos culturais, artísticos e educacionais. Trata-se do Centro Cultural Banco do Brasil Brasília (CCBB), projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, um dos fundadores da capital do País, que contará com teatro para 300 espectadores, duas salas de exposições - cada uma com 300 metros quadrados -, e amplo estacionamento. As salas serão equipadas com circuito interno de TV, sistema de vigilância, climatização e controle de umidade e temperatura.O novo centro será construído nos moldes do já existente no Rio. Ficará no Setor de Clubes Sul, área nobre de Brasília, às margens do Lago Paranoá. O projeto foi lançado ontem e faz parte do plano de marketing cultural do Banco do Brasil que espera, com o centro, intensificar a formação do público consumidor de arte e lazer em Brasília, e estimular sua criatividade e consciência crítica.Umas das propostas do CCBB Brasília é oferecer espetáculos a baixo custo. Para isso, a programação do centro - a de 2001 já começou a ser montada - será desenvolvida em parceria com instituições educacionais públicas e privadas, universidades e institutos de desenvolvimento artístico e cultural. Outro detalhe importante: as atividades são planejadas levando-se em conta o perfil do público-alvo de cada projeto.Na área teatral, a programação seguirá propostas enviadas por produtores culturais. A idéia é contemplar tanto obras de autores consagrados quanto as de novos nomes, sempre considerando os quesitos qualidade, oportunidade, interesse público e ineditismo. O mesmo vale para os espetáculos musicais, cuja programação, segundo a assessoria de Imprensa do BB, será definida em ciclos temáticos que representem a divulgação de estilos, técnicas, culturas e outros tópicos relevantes.O erudito, o jazz, o instrumental e a MPB serão os gêneros preferenciais do centro. O espaço também abrigará mostras de arte, como pintura, desenho, gravura, escultura, fotografia, instalação e multimídia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.