Balé Stagium comemora 32 anos no palco

O Balé Stagium comemora seu aniversário de 32 anos como sempre, no palco. O grupo faz até domingo uma retrospectiva de três coreografias importantes criadas nos anos 70: Jerusalém, de 1974, Kuarup, de 1977, e Batucada, de 1979. Todas assinadas por Décio Otero. As obras marcam a história do grupo e são uma oportunidade para o público jovem conhecer o repertório da companhia.As coreografias também serão gravadas. "Faremos uma grande retrospectiva ainda neste e no ano que vem com o intuito de registrar espetáculos que não estão em vídeo. A idéia é gravar todo o repertório e ampliar nosso arquivo", explica a diretora da companhia, Marika Gidali.Há 32 anos o Stagium busca uma linguagem brasileira para a dança. Nos anos 70, conquistou uma platéia variada, desde jovens não conformados com o sistema, principalmente com a censura promovida pelo regime militar, até a população ribeirinha das margens do Rio São Francisco. A companhia dançou por todo o País, de norte a sul, na fase marcada pela barca da cultura. Para relembrar esses momentos e atestar a coerência do grupo, que recentemente recebeu o Prêmio Moinho Santista de Dança, vale conferir a programação no Teatro São Pedro.Ballet Stagium. De hoje a sábado, às 21 horas; domingo, às 18 horas. R$ 20,00. Theatro São Pedro. Rua Barra Funda, 171, telefone: 3667-0499. Até domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.