Balé Stagium: 30 anos de palco

O Balé Stagium leva ao palco do Teatro Sérgio Cardoso a coreografia À Margem dos Trilhos, espetáculo que fica em cartaz até o dia 3 de dezembro e marca o início das comemorações dos 30 anos da companhia. O coreógrafo Décio Otero e a diretora Marika Gidali, há mais de 20 anos envolvidos com questões sociais, trazem à tona sentimentos e situações presentes no cotidiano das grandes cidades.O medo da violência e o isolamento dentro do próprio mundo marcam a peça, que, de acordo com Marika, deve levar à reflexão, principalmente sobre a dificuldade que as pessoas enfrentam de se relacionar e trocar experiências."O isolamento justifica o título da coreografia - À Margem dos Trilhos. Outro aspecto abordado nesse trabalho é a vida sofrida das pessoas que encontramos em nossas experiências sociais," explica Marika. O Stagium tem como proposta desenvolver o potencial de jovens, principalmente aqueles pertencentes a comunidades carentes, para a formação de cidadãos.À Margem dos Trilhos é um espetáculo que acumula as experiências de 30 anos do Stagium com projetos que utilizam a dança com objetivo para a integração social. Esse trabalho surgiu como experiência educacional nas unidades da Febem. "A atuação com as crianças e os adolescentes dessa instituição, sem dúvida alguma, foi enriquecedora e muito importante para a companhia", afirma Marika. Para criar essa coreografia, o grupo teve o apoio da Secretaria de Estado da Cultura e, também, da Petrobrás Distribuidora.No palco, além dos 12 bailarinos da companhia, estarão presentes 40 crianças do projeto Joaninha e o Grupo Discípulos do Ritmo. "A novidade dessa reestréia é a presença de algumas crianças no palco que simbolizam a nossa ação e um grupo que será profissionalizado," diz Marika.A coreografia é desenvolvida de maneira não-linear, sem uma estrutura narrativa. Bailarinos se movem na penumbra e um projetor apresenta ao público situações típicas do dia a dia de uma metrópole. O andar agitado, o ato de olhar insistentemente para trás ao caminhar influenciam na movimentação e estrutura da peça. Outro elemento presente nessa criação de Décio Otero é presença de B.Boys e a participação dos bailarinos na criação da obra. A trilha sonora dá o clima e completa o espetáculo com músicas de Caetano Veloso, Elis Regina, Philip Glass, Meredith Monk, Hans Werner Henze, entre outros.Ballet Stagium. De quarta a sábado, às 21 horas; domingo, às 18h30. R$ 10,00. Teatro Sérgio Cardoso. Rua Rui Barbosa, 153,tel. 288-0136. Até 3/12

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.