Balé Real faz pré-estréia do Festival de Joinville

Apresentado como o maior evento competitivo de dança da América Latina, o Festival de Dança de Joinville (SC) terá nesta sexta-feira a pré-estréia de sua 18ª edição, com a apresentação do Balé Real da Dinamarca, às 20 horas, no Teatro Centreventos Cau Hansen. A abertura oficial do festival acontecerá no dia 19, quando estará se apresentando a Companhia de Dança da Fundação Gulbenkian, de Portugal.No dia 20 começam as competições, que se estenderão até o dia 29, quando se apresentam as melhores coreografias. De acordo com os organizadores do festival, para este ano foram selecionados 136 grupos competitivos de 14 Estados e do Distrito Federal, entre 900 coreografias inscritas. Estarão reunidos em Joinville aproximadamente 4 mil bailarinos. Mesclados com apresentações especiais de companhias já consagradas, os grupos concorrentes irão disputar as modalidades balé clássico, dança de salão, dança de rua, danças folclóricas, dança contemporânea, jazz e sapateado. Paralelo a essa competição, também será realizado na Sociedade Harmonia Lyra, entre os dias 21 e 23, o Festival Meia Ponta, destinado a bailarinos de 10 a 12 anos. A primeira noite de gala do festival será dia 24, com duas apresentações. O Balé do Teatro Guaíra, de Curitiba, mostrará Segundo Sopro, de Roseli Rodrigues, coreógrafa revelada nos festivais de Joinville. Logo depois, o Balé Folclórico da Bahia, que estreou nacionalmente no mesmo festival, em 1988, apresentará Bahia de todas as Cores, espetáculo consagrado internacionalmente e que deve ser mostrado também na abertura dos Jogos Olímpicos de Sidney, em setembro, na Austrália. A segunda noite de gala, no dia 28, levará aos palcos a dança contemporânea nacional e internacional. Uma das referências da nova dança russa, a Escola de Danças Contemporâneas de Moscou apresentará Colagem de Músicas Brasileiras, do coreógrafo Nikolay Ogrizhov. Encerrando a noite, a Companhia de Dança Déborah Colker mostra Rota, um espetáculo com muita irreverência, juventude e humor, que tem no currículo 200 mil espectadores pelo mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.