Balé da Cidade: estréia dupla no Municipal

O Balé da Cidade faz uma estréia dupla no Teatro Municipal de São Paulo, neste sábado, apresentando Desatino do Norte Desatino do Sul, um espetáculo multimídia de Jorge Garcia, com trilha sonora do DJ Dolores ao vivo e a trupe do Fábrica Bijari responsável pelo cenário e pelas projeções de imagens durante o balé. E ainda, a coreografia Zona Mina-da, do italiano Mauro Bigonzetti.Cenas urbanas e sensuais marcam a coreografia do jovem coreógrafo Jorge Garcia, que nasceu no Recife, filho do jogador de futebol Pedrinho, e passou parte da infância em Portugal, em meio a torcidas e estádios. De volta ao Recife, sua atenção estava no surfe. "Mas o destino me pregou uma peça: aos 19 anos tive meu tímpano perfurado e fui obrigado a parar de surfar. Foi aí que a dança entrou na minha vida", lembra.Aos 19 nos o campeão de concursos de forró matriculou-se no Grupo deDança Populares, depois veio para São Paulo e logo conquistou um espaço na Cisne Negro Companhia de Dança. Com Paulinho Goulart e Marcelo Bucoff criou o grupo Puts (sigla que significa Por um Lugar tão Sonhado) e nasceu a primeira coreografia, Sonho Que se Sonhasó, inspirada em uma música do Raul Seixas." Criou partes da coreografia Baile na Roça, para o Balé da Cidade, sob s direção de José Possi Neto e para a peça 1, 2, 3.4 para a estréia daCompanhia 2 do Balé, já sob a direção de Ivonice Satie, entre outras. Garcia também coreografou uma cena do filme Carandiru, de Hector Babenco.Para Mônica Mion diretora do Balé da Cidade, a coreografia destaca as sensações, além de representar muito bem cada intérprete do grupo. O jeito urbano de São Paulo e a cultura nordestina convivem de forma harmônica na peça. Em contrapartida a esse universo, Bigonzetti trabalhacom a leveza de uma cantora muito popular na Itália dos anos 50,Mina, que continua gravando até hoje. Suas canções sãoconhecidas no mundo e no Brasil. "Por intermédio das músicas,trouxe o espírito italiano para a coreografia. A dança e o cantoseguem caminhos próprios dentro do espetáculo", explica oautor.Zona Mina-da faz um passeio pela história italiana. "Acoreografia apresenta momentos dramáticos, como o períodomarcado pelo pós-guerra, nos anos 50, quando ainda havia fome naEuropa, e momentos mais descontraídos, como os 60 e 70, a sedede viver, crescer, de se divertir."Serviço - Balé da Cidade. De sábado, segunda e quarta,às 21 horas; domingo, às 17 horas. Na terça, apresentaçãofechada para convidados. De R$ 10,00 a R$ 15,00. TeatroMunicipal. Praça Ramos de Azevedo, s/n.º, São Paulo, tel.(0xx11) 222-8698. Até 9/4. Estréia sábado

Agencia Estado,

05 de abril de 2003 | 12h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.