Maxim Shipenkov/Efe
Maxim Shipenkov/Efe

Bailarino russo confessa autoria de ácido contra diretor do Bolshoi

Pavel Dmitrichenko 'cultivava inimizades' com Sergei Filin por conta de decisões artísticas, segundo autoridades

NATALIYA VASOLYEVA , ASSOCIATED PRESS, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2013 | 02h13

Uma das estrelas do Bolshoi, o bailarino Pavel Dmitrichenko, de 29 anos, confessou ontem estar por trás do ataque ao diretor do balé do teatro, Sergei Filin, que teve ácido jogado no seu rosto ao chegar em casa, no dia 17 de janeiro. "Eu organizei o ataque, mas não da maneira como ele ocorreu", disse ele em um vídeo divulgado pela polícia russa.

Segundo as autoridades, Dmitrichenko "cultivava inimizades" com Filin por conta de algumas de suas decisões artísticas. A suspeita surgiu quando a polícia descobriu que ele mantinha contata com dois ex-presidiários e havia comprado celulares pré-pagos com nomes falsos. Na noite do ataque, quando viu que Filin havia deixado o teatro, Dmitrichenko teria utilizado um deles para avisar Yuri Zarutsky, identificado pela polícia como o atacante, de que chegara a hora de seguir com o plano. Porta-voz do Bolshoi, Katerina Novikova disse ontem que o teatro e Filin não devem se pronunciar sobre o caso até que os suspeitos sejam julgados e condenados.

Dmitrichenko vem de uma família de bailarinos e desde 2002 é um dos principais artistas do Bolshoi - recentemente, foi a estrela de uma montagem de Ivan, o Terrível. Segundo fontes ligadas ao teatro, a inimizade com Filin teria surgido porque o bailarino acreditava que sua namorada Anzhelina Vorontsova, que também atuava na companhia, estava sendo perseguida internamente, sem receber escalações para papéis principais. Em janeiro, o diretor do Bolshoi, Anatoly Iksanov, havia acusado o veterano bailarino Nikolai Tsiskaridze de ser o responsável pelo ataque - Tsiskaridze, professor de Anzhelina, negou todas as acusações. Segundo Novikova, Anzhelina não vinha recebendo papéis importantes porque "ela simplesmente estava gorda".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.