Babel Objetiva contrata Arthur Dapieve como editor

O jornalista, escritor e crítico musical Arthur Dapieve é o mais novo contratado da Objetiva. Ele não ocupará exatamente a diretoria editorial deixada por Isa Pessoa pouco antes da Feira do Livro de Frankfurt, em outubro. De acordo com Roberto Feith, diretor da Objetiva, Dapieve será responsável pela edição dos autores nacionais da casa. Isso vale para títulos de não ficção - história, biografia, memórias, política, economia, reportagem, comentário, crítica, crônicas, etc. Dapieve também tocará um novo projeto editorial, na área digital. Ele assume o cargo no fim de novembro; terá, portanto, tempo para tomar pé do trabalho, já que a produção das editoras cai no fim do ano. O jornalista garante que não abandonará suas empreitadas em curso, como um romance no qual vem trabalhando. Colunista do jornal O Globo, Dapieve é presença constante nos principais eventos literários do País. Seu último livro, Conversa Sobre o Tempo, foi lançado pela Agir em 2010 e é o resultado de uma longa conversa entre ele, Luis Fernando Verissimo e Zuenir Ventura. Uma obra mais antiga, Black Music, editada pela Objetiva em 2008, acaba de ganhar a bolsa de tradução da Fundação Biblioteca Nacional e chegará em breve à França pela Asphalte Éditions. Fundada por Roberto Feith, a Objetiva pertence hoje ao grupo espanhol Santillana-Prisa, dono do jornal El País e das editoras Alfaguara e Moderna.

O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2011 | 03h07

POESIA

2012, o ano de Ferreira Gullar

Primeiro foram os livros do romancista José Lins do Rego que ganharam novas edições da José Olympio este ano. Em 2012 será a vez do poeta Ferreira Gullar. A nova roupagem inclui mudanças no projeto gráfico de todos os títulos e novos prefácios ou textos críticos em alguns casos. Mais: o poeta acaba de escrever e ilustrar um livro infantil, que já está com a editora e fará parte do catálogo renovado.

INFANTIL

Inédito de Marina Colasanti

Marina Colasanti acaba de entregar O Nome da Manhã para sua agente Lucia Riff. "São poemas para crianças não muito pequenininhas", contou a escritora, que não tem uma editora exclusiva para sua obra infantil. Enquanto não define a publicação deste novo trabalho, Marina vai traduzindo a argentina Maria Teresa Andruectto, que, por sua vez, já a traduziu para o espanhol.

ECONOMIA

Arrumando a zona do euro

Enquanto a Europa se desgasta para tentar domar sua preocupante crise econômica, chega às livrarias norte-americanas The End Of Euro, do belga Johan Van Overtveldt. O livro conta a história da criação da moeda comum, mostra o que já deu errado desde o princípio e especula como esses erros tornaram a Grécia, Portugal e Espanha protagonistas de uma concreta ameaça ao euro. O livro será editado no Brasil em 2012 pela Campus Elsevier. Um detalhe: a editora grega Mataichmio também adquiriu os direitos de publicá-lo; mas até ele ser editado por lá pode ser tarde demais.

MEMÓRIAS

Carta ao pai

Esgotado há cerca de 15 anos, Graciliano: Retrato Fragmentado, livro de memórias que Ricardo Ramos (1929-1992) escreveu sobre o pai no começo da década de 90 e que mostra um Graciliano brincalhão, desatento e intempestivo, ganha nova edição da Globo Livros. Com fotos e manuscritos inéditos, prefácio de Silviano Santiago e apresentação dos filhos do autor, Rogério Ramos e Ricardo Filho, a obra estará disponível a partir do próximo dia 26. O lado escritor, político e intelectual também são abordados por Ricardo, que terminou o livro um pouco antes de morrer. Esta será a primeira de uma série de reedições de Ricardo Ramos que a Globo publica em breve. Os leitores podem esperar pelo romance Os Caminhantes de Santa Luzia e pelos contos de Rua Desfeita e Circuito Fechado.

TEATRO

Meyerhold, direto do russo

Único livro publicado em vida por Vsevolod Yemilyevich Meyerhold (1874-1940), Do Teatro será o primeiro título lançado pela Iluminuras da influente obra do ator e diretor de teatro russo. A tradução será feita diretamente do original por Diego Moschkovich. Até agora, só haviam saído no País fragmentos do livro - e vertidos a partir de edições francesas. O prefácio ficou a cargo da francesa Beatrice Picon-Vallin, doutora em Estudos Teatrais e uma das maiores especialistas em Meyerhold da atualidade. Na sequência do projeto, a Iluminuras planeja apresentar ao leitor brasileiro textos quase desconhecidos de Meyerhold, como os que abordam a sua teoria biomecânica- usada, inclusive, pelo diretor de cinema Sergei Eisenstein.

CINEMA

A aposta de Scott Rudin

Recém-lançado nos Estados Unidos, The Marriage Plot, terceiro romance de Jeffrey Eugenides e o primeiro publicado por ele depois de ter recebido o Pulitzer por Middlesex (Rocco), em 2002, vai virar filme. Neste novo livro, o autor de As Virgens Suicidas (disponível hoje no Brasil apenas na coleção L&PM Pocket) descreve um ano na vida de três estudantes universitários na década de 80 e seus primeiros passos rumo à vida adulta. Quem viu nele potencial para funcionar na tela foi Scott Rudin, produtor de O Homem Que Não Amava As Mulheres - baseado no best-seller do sueco Stieg Larsson -, A Rede Social, Onde os Fracos Não Têm Vez, Bravura Indômita, As Horas e vários outros sucessos de bilheteria. O romance está na programação de 2012 da Companhia das Letras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.