Babel Mercado editorial: há vagas

Janeiro tem sido um mês bastante movimentado para os departamentos de Recursos Humanos das editoras e livrarias brasileiras - e fevereiro promete um pouco mais de agito, com a volta de Isa Pessoa, ex-diretora da Objetiva, à ativa. Depois de 17 anos na casa carioca, Isa deixou o posto em outubro e se retirou discretamente para um período sabático na Itália. Em Florença, estuda desenho e o idioma italiano, e renova as energias para voltar ao mercado logo após o carnaval. "Este tempo está sendo precioso para que eu possa voltar com mais fôlego", diz. Quer um novo trabalho como editora e o momento é propício. Na quinta-feira, o Grupo Record anunciou que Luciana Villas-Boas não é mais sua diretora editorial. Sérgio Machado, presidente do grupo, não sabe ainda se colocará alguém no lugar dela, mas dado o fato de a Record ser o maior conglomerado editorial do Brasil, com cinco editoras, nove selos e um parque gráfico, talvez não seja prudente dispensar a figura de um publisher. De qualquer forma, Isa já registrou o domínio "autor.com.br" e o site está em construção. Há outra vaga no Rio de Janeiro, com a saída, no começo da semana, de Paul Christoph da diretoria de aquisições da Sextante, a maior importadora de best-sellers estrangeiros. Em São Paulo, com a ida de Mauro Widman para a Amazon no começo do mês, Erico Nunez assumiu a área de e-books da Livraria Cultura. Ele já trabalhava lá. Ex-Ediouro, Siciliano e Best-Seller, Janice Florido não quis acompanhar a mudança de modelo de negócio da Lafonte/Larousse, editora ligada à Escala Educacional que agora investirá menos em livrarias e mais em outros canais de venda, como banca de jornais. Ela conta que a decisão foi consensual. "O novo perfil não é o meu e há duas semanas negociamos minha saída." Seu substituto não foi definido e ela volta a pensar em trabalho depois das férias.

O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2012 | 03h09

DIDÁTICO

Senado quer hino em livro

Esta não é a primeira tentativa de tornar obrigatória a impressão do Hino Nacional na quarta capa dos livros e cadernos vendidos para o Governo nos programas de compra de material para estudantes. Mas na virada do ano, José Sarney, presidente do Senado, despachou novo projeto de lei de Paulo Bauer (PSDB - SC) para a Câmara dos Deputados. A ver se tudo é aprovado

e editado antes da Copa e da Olimpíada.

INTERNACIONAL

Correia de Brito em Israel

Galileia é o nome da fazenda do sertão cearense onde Ronaldo Correia de Brito situa seu primeiro romance, também chamado de Galileia. E é o nome da bíblica região ao Norte de Israel. Coincidência ou não, a Babel, editora com sede em Tel-Aviv, acaba de comprar os direitos de publicá-lo. Lançado pela Alfaguara, sua publicação rendeu a Brito o Prêmio SP de Literatura em 2009 e o passe para ser editado em outros países - o livro já está na Argentina e na França.

ARTE

Pincéis populares

Um grande projeto envolvendo livro, documentário e exposição pretende homenagear, a partir de março, dez artistas populares brasileiros - Antônio de Dedé, Nilson Pimenta, Cícero Alves dos Santos (Véio) e José Bezerra são alguns deles. A WMF Martins Fontes lança Teimosia Brasileira, organizado pelo Instituto do Imaginário do Povo Brasileiro, com prefácio de Rodrigo Naves e texto de Maria Lúcia Montes. A TV Cultura, em parceria com a Polo de Imagem, exibe vídeos dirigidos por Hilton Lacerda, Cecília Araújo, Claudio Assis e Rodrigo Campos sobre os artistas. E o Instituto Tomie Ohtake expõe suas obras a partir de 28 de março.

CORRESPONDÊNCIA

De John Lennon para...

Pelo menos 200 cartas escritas por John Lennon para namoradas, família, amigos, jornalistas, advogados e até para uma lavanderia serão reunidas pelo jornalista britânico Hunter Davis, autor da única biografia autorizada dos Beatles, em livro que deve ser lançado mundialmente em outubro, em tempo da festa pelos 50 anos de Love Me Do, primeiro disco da banda. A organização será cronológica para ajudar a dar o tom memorialístico da obra e as reproduções (algumas em fac-símile) serão precedidas por explicação do autor. Desenhos feitos pelo músico também estão previstos em As Cartas de John Lennon, que tem o aval de Yoko Ono, a viúva e guardiã de seu acervo. No Brasil, o livro sai pela Planeta.

TRADUÇÃO

Versões de O Corvo

Chega às livrarias depois do carnaval, pela LeYa, nova edição de O Corvo e Suas Traduções, obra esgotada de Ivo Barroso em que o poeta analisa oito versões do texto de Edgar Allan Poe - entre elas a de Machado de Assis e de Fernando Pessoa. As traduções de Baudelaire e de Mallarmé para o francês também estão no livro, tal qual na edição original. As duas novidades ficam por conta do texto A Filosofia da Composição, em que Poe sintetiza seu famoso poema, e uma breve biografia do escritor americano.

LUSOFONIA

Outros sotaques

A 1.ª Bienal do Livro e da Leitura vai levar um time de escritores lusófonos a Brasília entre os dias 14 e 23 de abril. Paulina Chiziane (Moçambique), Germano Almeida (Cabo Verde), Abdulai Sila (Guiné-Bissau), Conceição Lima (São Tomé) e o angolano que já é quase brasileiro, Ondjaki, estarão na feira que será montada na Esplanada dos Ministérios. Além deles, participam o nigeriano Wole Soyinka, Nobel de 1986, o mexicano Guillermo Arriaga e o nicaraguense Sérgio Ramírez.

*

Por falar em literatura feita na mesma língua, mas com diferentes sons, a Melhoramentos publica este ano a coletânea infantil Dima, O Passarinho Que Criou o Mundo, organizada pelo angolano Zetho Cunha Gonçalves. Traz contos de Rogério Barbosa (Brasil), Leão Lopes (Cabo Verde), Andrea Fernandes (Guiné-Bissau), Miguel Ouana (Moçambique), Conceição Lima (S. Tomé e Príncipe), Fernando Sylvan (Timor) e José Carlos Pereira (Portugal).

MARIA FERNANDA RODRIGUES

mariaf.rodrigues@grupoestado.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.