Babel

LIVRARIA

O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2012 | 03h10

Kobo faz a primeira parceria no Brasil

Alexandre Martins Fontes ainda não sabe quando será, mas já definiu como sua livraria vai começar a vender livro digital: através da descolada Kobo. A escolha foi natural, como uma continuação de parceria mesmo. Isso porque quem cuida de todo o e-commerce da Martins Fontes Paulista é a Ikeda, comprada recentemente pela gigante japonesa da área de tecnologia Rakuten.

Com faturamento anual de US$4,3 bilhões e presente em seis países, a Rakuten também comprou, em 2011, a canadense Kobo. E esse deve ser o caminho dela para chegar às

livrarias e editoras brasileiras. “Já estamos conversando. No momento em que tivermos a tecnologia para receber os livros e vendê-los, vamos começar”,diz o proprietário.

Embora a Kobo seja pequena e não entre na briga entre Amazon, Google e Apple, ela tem a vantagem de não exigir fidelidade de seus clientes, o que não acontece com as outras empresas. “O e-book da Kobo é universal. Como consumidor, me incomoda e acho péssimo ter um aparelho que me permita comprar só em um lugar.”

Enquanto a parceria se desenha, Alexandre amplia de 350 m² para 1.350 m² o armazém que abriga toda a logística de seu e-commerce – o qual, aliás, vai de vento em popa. As vendas de livros pelo site cresceram 25% em janeiro em comparação com o mesmo período do ano passado. O novo espaço está previsto para abril, quando acabar acorreria do períodode volta às aulas, o preferido das livrarias. 

DIGITAL

Ficha catalográfica para e-book?

Tanto o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) como a Câmara Brasileira do Livro (CBL) incluíram um novo serviço entre os seus afazeres: o fornecimento de ficha catalográfica para livros digitais. Por um lado, isso demonstra que as duas entidades mais importantes do País na área editorial já reconhecem o e-book como livro. Por outro, pode ser encarado como perda de tempo e de dinheiro, uma vez que as editoras são obrigadas a preparar os metadados, que nada mais são do que as informações que constam dessa antiga ficha criada para auxiliar bibliotecários e livreiros a melhor organizar seu acervo.

*

Só o Snel fez, até dezembro, 1.300 delas ao custo, para o associado, de R$ 24 cada uma (as 10 primeiras do mês são gratuitas). A CBL espera que as fichas digitais representem 8% do total emitido - em 2011, foram 18 mil para livros físicos. Lá, elas custam R$ 35. Não associados pagam o dobro. BIBLIOTECA

Um entreposto livreiro

Ao todo, 771 empresas se inscreveram no programa da Fundação Biblioteca Nacional que prevê a venda de livros a R$ 10 para bibliotecas públicas. Elas vão fazer o meio de campo entre essas bibliotecas e as editoras e serão responsáveis por receber a lista das obras escolhidas pelo bibliotecário, comprar e revender. Ficam com até 50% do valor. Grande parte das inscritas é formada por papelarias e livrarias, mas há no rol até uma empresa de promoção de eventos, de Aracaju. O trabalho maior será da editora, que somou esses mais de 700 novos clientes ao seu negócio e terá gastos com nota fiscal, impressão, estoque e frete. O lucro, se existir, será mínimo.

CORRESPONDÊNCIA

Florbela inédita

Ficam prontos em meados de março dois títulos de Maria Lúcia Dal Farra que reúnem a produção de Florbela Espanca (1894-1930). Inédito, Sempre Tua compila a correspondência amorosa da portuguesa entre 1920 e 1925. Afinado Desconcerto, esgotado, ganha revisão e novo projeto gráfico. Nele estão cartas, contos e trechos de seus diários. A edição é da Iluminuras.

INTERNET

Folhetim eletrônico

Uma das novidades do recém-inaugurado site Musa Rara, especializado em literatura e idealizado por Edson Cruz (do extinto Cronópios), é a seção Prosa, no ar a partir de hoje. Lá, serão publicadas, em partes, obras ainda não editadas, como é o caso de Minhas Memórias de Hilda Hilst, de Ana Lucia Vasconcelos. O livro foi escolhido para inaugurar o espaço porque hoje se completam 8 anos da morte da escritora. Nele, a autora, que conheceu Hilda em 68, conta detalhes da Casa do Sol, onde ela morava, e sua relação com o marido, os amigos - e os cachorros.

DIREITOS

Longe do frio britânico

Mais uma editora inglesa está no Brasil para tentar fazer negócios. Pinelopi Pourpoutidou, da Michel O'Mara Books, visita, até 11/2, as editoras LeYa, Planeta, Rocco, Novo Século e Prumo. Entre os títulos que vai apresentar está Bond on Bond, em que Roger Moore, um dos atores que protagonizaram James Bond, conta a história da série. O livro será lançado na Inglaterra em setembro, nas comemorações pelos 50 anos do filme. Em 2011, duas biografias de Justin Bieber exportadas por ela entraram nas listas de mais vendidos aqui.

INTERNACIONAL

Mais polêmica

A libanesa Joumana Haddad, que participou em outubro da Fliporto, em Olinda, prepara novo livro e espera chacoalhar o Oriente: Superman Is an Arab: On God, Marriage, Macho Men and Other Disastrous Inventions. Ela deve terminá-lo em março e a agência DMM já procura editora interessada em editar a obra no Brasil. O anterior, Eu Matei Sherazade, foi publicado pela Record.

NEGÓCIOS

O caminho da confiança

Para quem achou que Stephen Covey, autor de Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, best-seller por anos, estava curtindo a aposentadoria e assistindo de fora a economia mundial sufocar, uma novidade: ele acaba de lançar, nos Estados Unidos, Smart Trust. Em tempos de crise e empresas quebrando, investir em valores como confiança e respeito, a exemplo do que fazia o mercadinho do passado, é o caminho para superar as adversidades e crescer, defende ele. O livro sai no Brasil pela Lua de Papel em agosto.

MARIA FERNANDA RODRIGUES

mariaf.rodrigues@grupoestado.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.