Avishai Cohen esquenta primeira noite do Chivas

A primeira noite do Chivas Jazz Festival deu uma amostra de como podem ser diferentes as tendências musicais que se abrigam sobre o guarda-chuva do jazz. O pianista sul-africano Abdullah Ibrahim e o baixista e pianista israelense Avishai Cohen, que abriram nesta quarta-feira o festival no Directv Music Hall, vivem em pólos opostos do gênero.Abdullah, o primeiro a tocar, levou ao palco um som delicado e um tanto difícil de acompanhar. Ao lado de Beldon Bullock (baixo), Geoger Gray ( bateria), ele emendou suas composições e fez um show sem cortes. Do trio, quem levantou o público foi o baterista, que esbanjou técnica e arrancou aplausos. Abdullah foi aplaudido no final, mas retribuiu com mesma discrição com que levou todo o show.Mas o calor que faltava fora da casa de espetáculos foi trazido em grande estilo pelo carismático Avishai Cohen. Intercalando momentos no piano, no baixo e no contra-baixo, Cohen estava animado. Ele e seus cinco músicos (trompete, trombone, sax, bateria e contra-baixo) botaram a audiência para cantar e bater palmas. Evitaram que o sono dominasse a sala. A receita foi simples: volume alto, solos de todos os instrumentos, conversa com o público e bom humor. Além disso, um indisfarçável toque latino e o tom familiar ao jazz, que originalmente de latino não tem nada. O Directv Music Hall não lotou nesta primeira noite de Chivas festival, mas faltou pouco. Os maiores públicos certamente serão os de sexta e sábado, já que nestas noites há três apresentações programadas e não duas. Na sexta se apresenta a brasileira Luciana Souza, que tem grande sucesso fora do país e deve chamar bom público. Só é pena que as desconfortáveis cadeiras e o espaço mínimo entre as mesas do Directv, ex-Palace, causem tanto transtorno e desconforto a quem vá conferir o festival.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.