Avenida pode virar parque temático

A Passarela do Samba pode virar um parque temático sobre o carnaval. A idéia do presidente da Riotur (empresa de turismo do município), José Eduardo Guinle, é dar finalidade à Avenida Marquês de Sapucaí durante todo o ano, e não somente no período da festa. A proposta começa a ser estudada por uma comissão da Riotur assim que for encerrado o desfile das escolas campeãs. Entre os projetos que o grupo de estudos vai analisar estão a utilização do sambódromo para outros eventos durante o ano - como shows e festas - e a desapropriação do prédio da cervejaria Brahma, vizinho à Sapucaí. No local, seriam construídos camarotes, arquibancadas e frisas. Segundo Guinle, isso reduziria o problema da falta de ingressos. "Apesar de estar convicto de que sempre faltarão lugares tanto para os cariocas como para os turistas, existe uma possibilidade de ampliação do sambódromo, que será estudada", garantiu. O presidente da Riotur vistoriou ontem durante duas horas a Passarela do Samba. Ele descobriu que o piso das áreas destinadas a deficientes físicos - entre os setores 4 e 6 e no setor 13 - estava cedendo. Os tapumes terão de ser reforçados pela Liga das Escolas de Samba (Liesa), informou Guinle. Os ingressos para deficientes são gratuitos e repassados para pessoas cadastradas na Fundação José Lobão.

Agencia Estado,

19 de fevereiro de 2001 | 20h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.